Romeu Rufino, diretor-geral da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), afirmou que valor da tarifa assumiu um “patamar muito preocupante”.

Entre 2014 e 2017, a tarifa média da conta de luz nas residências brasileiras acumula uma alta média de 31,5%. Um levantamento da Associação Brasileira de Grandes Consumidores Industriais de Energia e de Consumidores Livres (Abrac) aponta que esta alta pode chegar a 44% ao final de 2018.

De acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE), o aumento na conta de energia dos últimos quatro anos superou a inflação acumulada no mesmo período.

“Isso [encarecimento das contas de luz] de fato nos incomoda também, e acho que a todos, às distribuidoras, aos consumidores, ao regulador, porque o valor da tarifa está assumindo um patamar muito preocupante”, afirmou Romeu Rufino, diretor-geral da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

Segundo o G1, os motivos deste encarecimento estão relacionados ao aumento no custo de produção da energia e aos subsídios embutidos nas tarifas.