Brett Ratner foi denunciado por seis mulheres, inclusive a atriz Ellen Page.

A atriz Gal Gadot avisou à Warner Bros que não voltará ao papel de Mulher Maravilha caso o produtor Brett Ratner, denunciado por assédio por pelo menos seis mulheres, permaneça trabalhando na empresa. O estúdio anunciou que ele deve ficar afastado até a conclusão das investigações. As informações são do site ‘Page Six’.

O novo filme da heroína está previsto para ser lançado em dezembro de 2019 nos Estados Unidos. A situação do estúdio é delicada porque o contrato de Ratner encerra em 2018, quando as gravações do longa devem começar.

No início do mês, o produtor e diretor Brett Ratner, autor de filmes como “O regresso” e “X-Men: O Confronto Final”, foi acusado por seis mulheres de assédio sexual. Entre as vítimas estão as atrizes Ellen Page, Olivia Munn e Natasha Henstridge.

O “Page Six” ouviu uma fonte ligada ao projeto: “Brett fez muito dinheiro com o sucesso da ‘Mulher-maravilha’, porque sua empresa ajudou a financiar o filme. Agora Gadot disse que não vai continuar na franquia caso a Warner se livre dele.”

No começo do mês, o produtor e diretor Brett Ratner, responsável por obras como “O regresso” e “X-Men: O Confronto Final”, foi acusado por seis mulheres de assédio sexual. Entre as vítimas estão as atrizes Olivia Munn e Natasha Henstridge, que detalharam suas experiências com Ratner ao “Los Angeles Times”.

Segundo Natasha, o produtor, de 48 anos, a teria forçado a fazer sexo oral. Na época, ela tinha 19 e trabalhava como modelo. Já Olivia Munn disse que ele teria se masturbado em sua frente no set de gravações do filme “Before, During and ‘After the Sunset'”, de 2005. Em 2010, ela já havia citado o caso, mas não revelou o nome de Ratner.