De acordo com familiares das vítimas, Raimunda Vitória Franco Lima de 17, era casada e residia em Breu Branco. No Final do ano passado, Raimunda e o filho Carlos Alexandre de apenas 4 meses saíram com destino a Tucuruí e desapareceram.

Alguns dias após o desaparecimento dos dois, familiares receberam informações de que eles estariam no KM 11 em Tucuruí, familiares imediatamente se deslocaram até o local e populares informaram que uma mulher havia levado Raimunda e Carlos para uma ilha localizada na região de Novo Repartimento.

Os dias se passaram e mais uma vez familiares receberam informações de que Raimunda estaria em Breu Branco, novamente parentes procuraram no local informado e não conseguiram encontrar os desaparecidos. Uma pessoa que teria encontrado com Raimunda, relatou que ela estava bem diferente, havia cortado e pintado os cabelos.

Passados mais de dois meses do desaparecimento, incansavelmente, os familiares continuaram as buscas, mas não logravam êxito. Uma das maiores preocupações, era com Raimunda que apresentava sinais de distúrbio o filho que tinha uma deficiência nas pernas.

Após chegar a ilha, Raimunda teria conhecido e se envolvido com um homem identificado como Paulo, o qual ela teria ido morar com ele.

Na tarde de sexta-feira(09), a mulher que teria levado Raimunda para ilha, teria vindo até a cidade e quando estava retornando a ilha, recebeu a informação de que o filho havia cometido uma tragédia. Preocupada, a mulher voltou para cidade e acionou a polícia.

As informações davam conta de que, Raimunda e Carlos teriam sido mortos por golpes de arma branca pelo homem identificado como Paulo. Imediatamente a polícia e peritos do Instituto Médico Legal IML de Tucuruí foram acionados e se deslocaram até o local.

Os corpos foram encaminhados até o Centro de Perícias Científicas CPC de Tucuruí, mas por conta da falta de Médico Legista, Raimunda e Carlos precisaram ser encaminhados até Marabá para realização de perícia. Mãe e filho foram mortos por arma branca.

O autor do crime permanece foragido. Informações, acione a polícia através do 190.