O presidente Michel Temer se reuniu com assessores e ministros em seu gabinete, no terceiro andar do Palácio do Planalto, imediatamente após a divulgação da notícia de que teria sido gravado dando aval para a compra do silêncio do ex-deputado Eduardo Cunha, preso pela Operação Lava Jato em Curitiba.

Entre os participantes da reunião estavam o porta-voz do governo, Alexandre Parola, e os ministros Eliseu Padilha (Casa Civil), Moreira Franco (Secretaria Geral), Henrique Meirelles (Fazenda) e Antonio Imbassahy (Secretaria de Governo), além do presidente da Câmara, deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ). Até a última atualização desta reportagem, a reunião não tinha terminado. Também não havia informações sobre um pronunciamento de Temer.

Uma reunião com governadores do Nordeste foi encerrada às 19h50 para que Temer pudesse tratar do assunto. Aos governadores, foi solicitado que se retirassem. A notícia no site do jornal “O Globo” foi divulgada às 19h33.

Servidores do Palácio preparavam o Salão Leste, no segundo andar do prédio, onde são feitos pronunciamentos oficiais e entrevistas coletivas enquanto acontecia a reunião no gabinete do presidente caso algum representante do governo se manifeste. Do lado de fora, carros que passavam em frente ao Palácio do Planalto buzinavam.