Carregando...
Ao Vivo
Carregando...
Tucuruí, 20 de October de 2021
Sistema Floresta
SBT Ao Vivo

Gilmar Mendes critica vazamento de informação sobre pedidos de prisão

Por G1
Publicado em 07 de junho de 2016 às 15:45H

Compartilhe:

Gilmar MendesO ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), criticou nesta terça-feira (7) o vazamento dos pedidos de prisão do presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), do ex-presidente José Sarney, do senador Romero Jucá (PMDB-RR) e do presidente afastado da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ). Para o ministro, o vazamento representa “abuso de autoridade”.

“Na verdade tem ocorrido. Vamos dizer claramente, e aconteceu inclusive em processo de minha relatoria, processos ocultos, que vêm como ocultos e que vocês [imprensa] já sabem, divulgam no Jornal Nacional, antes de chegar no meu gabinete. Isso tem ocorrido e precisa ter cuidado. Porque isso é abuso de autoridade claro”, disse Gilmar Mendes em conversa com jornalistas, ao ser questionado se era grave o pedido de prisão de Renan Calheiros, que também é presidente do Congresso.

O ministro fez referência aos processos ocultos, ações que tramitavam sob o mais alto grau de sigilo no tribunal, que não não apareciam sequer no sistema de consulta público.

“Então é preciso ter muito cuidado com isso. E os responsáveis têm que ser chamados às falas. Não se pode brincar com esse tipo de coisa. ‘Ah, é processo oculto’, pede-se sigilo, mas divulga-se para a imprensa que tem um processo aqui, um inquérito, Isso é algo grave. Não se pode cometer esse tipo de… Isso é uma brincadeira com o Supremo. É preciso repudiar isso de maneira muito clara”, afirmou Gilmar Mendes em seguida.

Questionado se a Procuradoria Geral da República (PGR) estaria por trás dos vazamentos, Gilmar Mendes respondeu: “Quem estiver fazendo isso está cometendo crime, certo?”.

Ao deixar sessão do Conselho Nacional do Ministério Público, nesta terça, o procurador-geral da Republica, Rodrigo Janot, disse apenas: “Não confirmo nada”.

Relator da Operação Lava Jato no STF e dos pedidos de prisão, o ministro Teori Zavascki não quis falar com a imprensa quando entrou para a sessão de julgamentos.

Ao vivo
Floresta 104,7MHz
Carregando...

Send this to a friend