Carregando...
Ao Vivo
Carregando...
Tucuruí, 22 de April de 2021
Sistema Floresta
SBT Ao Vivo

‘Ligue 180’ teve recorde de denúncias em 2016

Por DOL
Publicado em 11 de março de 2017 às 12:42H

Compartilhe:

A Central de Atendimento à Mulher teve recorde de atendimentos em 2016 e altas significativas nas denúncias de estupro, violência doméstica e cárcere privado.
destaque-397681-i

Popularmente conhecido por ‘Ligue 180’, o serviço realizou 1.133.345 atendimentos no ano passado, cerca de 3.096 por dia e 51% a mais que em 2015.

Segundo balanço divulgado na última terça-feira (7) pela Secretaria de Política para Mulheres, do Ministério da Justiça e Cidadania, 12% do total (140.350 ligações) eram relatos de violência contra mulheres, excetuados pedidos de informação e denúncias de outros crimes.

Desses, mais da metade diz respeito a agressões físicas, enquanto 31,8% relatavam violência psicológica.

Os relatos de violência cresceram 83%, com aumento de 54% nos casos de cárcere privado (16,7 por dia) e alta de 121% nas denúncias de estupros (16,51 por dia).

Também cresceram 93,87% os relatos de violência doméstica e familiar frente a 2015, para 112.524 denúncias.

Mulheres negras são a maioria das vítimas: 60,53%. A incidência é ainda mais grave quando confrontada à proporção de 43% de pessoas pardas na população do país, segundo o Censo 2010.

Em 28,78% dos casos, foi detectado risco de que a violência relatada acarretasse na morte das vítimas.

‘Os dados demonstraram a importância fundamental da Lei do Feminicídio (13.104/2015), visto que em quase a totalidade dos relatos de violência (97,57%) é percebido risco para a vítima’, descreve o relatório da Secretaria.

O resultado reforça a pesquisa ‘Visível e Invisível: a Vitimização de Mulheres no Brasil’, realizada pelo Datafolha a pedido do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, que revelou que 29% das mulheres no Brasil relatam ter sofrido violência física, verbal ou psicológica no ano anterior.

Também explicitam a extensão da violência às crianças. Entre os atendimentos no primeiro semestre de 2016, em 82,86% dos casos, filhos ou filhas presenciaram ou também sofreram violência física.

AGRESSÃO FREQUENTE E DO CÔNJUGE

Em mais de dois terços dos relatos, as agressões eram frequentes: diária em 36,79% dos casos e semanal em outros 30,43%.

Entre as denunciantes em 2016, 15,86% relataram violência recorrente há mais de cinco anos, 22,35% citaram casos repetidos entre um e cinco anos e 30,23% denunciaram agressões reiteradas por menos de um ano.

Em 65,91% dos casos, as violências foram cometidas por homens com quem as vítimas têm ou tiveram vínculo afetivo: atuais ou ex-companheiros, cônjuges, namorados, amantes.

Este índice diz respeito às relações heteroafetivas. Agressões em relações homoafetivas responderam por apenas 0,26% das denúncias.

Foram relatados ainda 317 casos de tráfico de pessoas, tanto dentro do Brasil quanto para o exterior, em sua maioria (58%) com finalidade de exploração sexual.

PELO PAÍS

O Distrito Federal foi a unidade da federação com maior taxa de relatos de violência pelo ‘Ligue 180’ em 2016, seguido do Piauí e do Mato Grosso do Sul.

Entre as capitais, Brasília teve a maior taxa de relatos de violência no serviço, com 11.845 ligações (885 a cada 100 mil mulheres), seguida por Rio de Janeiro (26.291 ligações, 782/100 mil) e Belo Horizonte (8.729 ligações, 691/100 mil). São Paulo foi a capital com menos denúncias proporcionalmente (82 ligações, 1,38/100 mil). Mulheres de regiões urbanas representam a imensa maioria das denunciantes (91,03%), mas a procura por vítimas em zonas rurais cresceu 127% frente a 2015.

24 HORAS, TODOS OS DIAS

O serviço ‘Ligue 180’ é gratuito e confidencial (preserva o anonimato), funciona 24 horas, todos os dias, inclusive em finais de semana e feriados, e pode ser acionado de qualquer lugar do Brasil.

Há também números específicos para brasileiras residentes no exterior no site da Secretaria. Desde sua criação, em 2005, a Central de Atendimento à Mulher já registrou 5.965.485 atendimentos.

Ao vivo
Floresta 104,7MHz
Carregando...

Send this to a friend