Carregando...
Ao Vivo
Carregando...
Tucuruí, 16 de April de 2021
Sistema Floresta
SBT Ao Vivo

Macapá pode ficar até 15 dias sem luz após incêndio em subestação

Por Notícias ao Minuto
Publicado em 06 de novembro de 2020 às 07:40H

Compartilhe:

O MME (Ministério de Minas e Energia) afirmou nesta quinta-feira (5) que a retomada completa do fornecimento de energia elétrica no Amapá deve demorar ao menos 15 dias. A capital e outras 13 cidades do estado estão sem energia desde a noite de terça (3), após incêndio na subestação responsável por receber eletricidade de outras regiões do país.

A repercussão nas redes sociais mostra as dificuldades que os moradores vêm enfrentando. Sem luz, o fornecimento de água também foi prejudicado e muitos precisaram correr aos mercados em busca de água mineral.

Há também problemas nos sistemas de comunicação, com dificuldades para usar telefones ou acessar a internet, e relatos de grandes filas em postos de gasolina e supermercados durante o dia. À noite, os hotéis que têm geradores de energia ficaram cheios de pessoas em busca de iluminação.

O apagão atinge 14 das 16 cidades do estado. Apenas Oiapoque, no extremo norte, e Laranjal do Jari, no extremo sul, têm eletricidade.

O governo espera restabelecer entre 60% e 70% do abastecimento nesta quinta, com a retomada de um dos transformadores danificados pelo incêndio. O governo do estado definirá as prioridades no fornecimento de eletricidade caso a estratégia seja bem sucedida.

A solução definitiva para o problema, porém, depende da chegada de transformadores que estão hoje em outros lugares. Um deles será transportado de Laranjal, no extremo sul do estado, e deve estar pronto para operar em 15 dias. O outro será levado de Boa Vista (RR) e só chegará no fim do mês.

O secretário de energia do MME, Rodrigo Limp, disse que a chegada do primeiro transformador já permite o restabelecimento completo, mas em situação precária, já que o sistema precisa de um equipamento sobressalente para evitar cortes no fornecimento em caso de problemas nos outros dois transformadores.

Enquanto mobiliza a transferência dos equipamentos – que pesam cerca de 100 toneladas e precisam ser desmontados para o transporte – o governo está buscando geradores de energia para operar de forma emergencial, garantindo ao menos o suprimento de instalações prioritárias.

As causas do incêndio estão sendo investigadas pela Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) e pelo ONS (Operador Nacional do Sistema Elétrico). A subestação é parte do sistema de transmissão que conectou o Amapá ao resto do país em 2015. É operada pela LMTE (Linha de Macapá Transmissão de Energia).

A instalação tem três transformadores, que reduzem a tensão da energia que chega pela linha de transmissão antes de injetá-la na rede de distribuição local. Um deles estava parada para manutenção desde dezembro de 2019.

O governo montou um gabinete de crise para acompanhar o tema e, nesta quarta (4), o ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque e representantes de outros órgãos do setor elétrico estiveram em Macapá para avaliar as estratégias para retomar o fornecimento.

No momento, o estado está sendo abastecido apenas pela energia gerada por uma hidrelétrica local, que gera o equivalente a cerca de 10% do consumo da área afetada, de acordo com o ONS. Sem luz, o fornecimento de água também foi prejudicado e moradores precisam recorrer a água mineral.

Ao vivo
Floresta 104,7MHz
Carregando...

Send this to a friend