Carregando...
Ao Vivo
Carregando...
Tucuruí, 24 de October de 2021
Sistema Floresta
SBT Ao Vivo

Principais balneários do Pará já têm reservas quase esgotadas para o réveillon

Por ORM
Publicado em 02 de dezembro de 2020 às 06:18H

Compartilhe:
Algodoal praticamente já esgotou as reservas em hotéis e pousadas para o final de ano (Oswaldo Forte)

Levantamento feito pelo Sindicato de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares do Estado do Pará indica que a 30 dias para o fim de 2020 já não há mais quartos disponíveis na maioria dos meios de hospedagem localizados nas principais cidades balneários do Pará.”Não há mais quartos disponíveis em Algodoal (Maracanã) e Alter do Chão (Santarém). Em Ajuruteua (Bragança), Salinópolis e Marudá (Marapanim) estão, em média, com 90% da capacidade reservada para os dias de réveillon”, informa a entidade.

Em virtude da pandemia de covid-19, o levantamento feito pelo sindicato para traçar um panorama sobre os índices de reservas para o fim de ano levou em consideração apenas os meios de hospedagens associados das seis localidades que mais recebem um grande volume de turistas neste período.

A capital, Belém, como ressalta o sindicato, não tem histórico de movimento nos meios de hospedagem, exceto nos empreendimentos localizados nas ilhas de Cotijuba e Mosqueiro, que estão lotados para a virada de ano.

Como alguns empreendimentos estão funcionando com a capacidade reduzida, conforme os protocolos municipais, o levantamento feito pelo SHRBS-PA não levou em consideração a ocupação por número de leitos – como de praxe. Os dados informados pelos associados foi com base na ocupação dos quartos. “É um momento sensível, ainda estamos enfrentando uma pandemia e há muitas restrições. Não se pode ter muitos hóspedes dentro de um quarto, por exemplo”, citou Fernando Soares, assessor jurídico do sindicato.

Ele tem acompanhado os diários oficiais municipais para monitorar alterações nos decretos municipais. “É importante lembrar que no período mais crítico da pandemia Algodoal e Salinópolis se fecharam para o turismo. A reabertura foi gradual, com os meios de hospedagem funcionando apenas com 50% da capacidade. Não sabemos se até o fim do ano medidas como esta, de bloqueio, voltarão a ser tomadas pelas prefeituras”, manifestou.

Em relação ao período de hospedagem, o tempo médio de estadia é de 5 dias. A maior parte dos hóspedes são paraenses – exceto em Alter do Chão, onde a maioria dos turistas que confirmaram reservas são de fora do Estado.

A procura pelas reservas nas cidades balneários do Pará se intensificaram a partir do anúncio de cancelamentos de eventos da Virada de Ano no Rio de Janeiro (RJ), São Paulo (SP) e Fortaleza (CE). “É cedo para falar de faturamento, por isso não entramos nesse mérito. Há uma preocupação por parte dos nossos associados e nossa, do sindicato, enquanto representante legítimos da categoria”, frisou Soares, que tem reiterado aos empresários que sigam todos os protocolos contra a covid-19.

Ao vivo
Floresta 104,7MHz
Carregando...

Send this to a friend