Carregando...
Ao Vivo
Carregando...
Tucuruí, 17 de October de 2021
Sistema Floresta
SBT Ao Vivo

Saiba os itens que encarecem a cesta básica no Pará

Por Dol
Publicado em 28 de janeiro de 2020 às 11:12H

Compartilhe:

A cesta básica do paraense continua entre uma das mais altas do país. No ano passado, em média, comprometeu cerca de 45% do salário mínimo, puxada por produtos como carne e pescado. 

Outro itens, como frango e ovo, mesmo sem o aumento acima da média, também contribuem para a tornar o custo da alimentação no Estado um dos mais caros do Brasil, conforme o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese).

A pesquisa do departamento acompanha semanalmente o valor do quilo do frango resfriado e congelado das marcas Americano e Avispará, além da dúzia de ovos Cami e Gaasa, todos comercializados nos supermercados da capital. E concluiu que, em dezembro de 2018, o kg do frango resfriado Americano era vendido a R$ 6,35. 

Em dezembro de 2019, alcançou o valor de R$ 7,93, representando uma alta de 17%, contra 4,5% de inflação no mesmo período. 

Já o resfriado Avispará, no mesmo período, foi vendido a R$ 6,08 em dezembro de 2018 e R$ 7,22 em dezembro de 2019. Alta de 18,75%.

Já o congelado Americano era vendido em dezembro de 2018 a R$ 5,58 o quilo, saltando para R$ 6,67 em dezembro de 2019. O aumento no período foi de 19,53%. O mesmo produto da Avispará custava R$5,56, e R$ 6,69 respectivamente. Alta de 20,32%. 

A pesquisa fez amostragem com os ovos e concluiu que, nos supermercados, a dúzia o ovo Cami entrou em dezembro de 2018 a R$ 6,62. Um ano depois, a mesma dúzia custava R$ 7,48. 

A elevação percentual no custo foi de 12,99%. Enquanto isso, a dúzia da marca Gaasa entrou no final de 2018 nas prateleiras a R$ 6,89, passando a custar R$ 7,47 doze meses depois. A alta foi de 8,42%.

Ao vivo
Floresta 104,7MHz
Carregando...

Send this to a friend