Carregando...
Ao Vivo
Carregando...
Tucuruí, 25 de July de 2021
Sistema Floresta
SBT Ao Vivo

Auxílio emergencial para novas categorias será votado na segunda-feira

Por Dol
Publicado em 18 de abril de 2020 às 12:37H

Compartilhe:
Consulta ao aplicativo da Caixa Eonomica Federal para pedido do Auxilio Emergencial do Governo Federal durante 3 meses da pandemia de Corona Virus

O Senado vai votar na segunda-feira (20), em sessão remota, o projeto que amplia o número de categorias que poderão receber o auxílio emergencial de R$ 600, a ser pago durante a pandemia do coronavírus. O projeto de lei nº 873/2020 inclui o pagamento do benefício para diversas outras categorias que sentem, de forma mais direta, os reflexos da crise causada pela pandemia e pelo isolamento social.

Estão incluídos no projeto: motoristas de aplicativos, taxistas, pescadores profissionais artesanais, aquicultores, agricultores familiares, catadores de materiais recicláveis, motoristas de transporte escolar, caminhoneiros, agentes de turismo, guias de turismo, entre outros. O senador Jader Barbalho (MDB-PA) considera fundamental e urgente a votação dessa nova medida para socorrer a população brasileira.

Nesta quinta-feira (17), durante sessão plenária virtual, Jader lembrou que a Mesa Diretora do Senado aprovou o envio do Requerimento de Informações que será encaminhado ao ministro da Economia, Paulo Guedes, sobre o uso de recursos das reservas internacionais, que já somam R$ 2 trilhões, para ações de recuperação da economia e de auxílio imediato e emergencial dos brasileiros.

“São projetos como esse que precisam ser aprovados e implementados com urgência urgentíssima. É sobre isso que venho falando nos últimos dias, repetidamente, e não há nenhuma justificativa para não usarmos as reservas para esse socorro à população que sente mais imediatamente os reflexos da crise que o mundo está a enfrentar. E no Brasil esses reflexos são, por natureza, mais fortes, por ser um país tão desigual”, lembrou o senador.

Jader solicitou ao presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP) que fizesse o encaminhamento do Requerimento imediato ao ministro Paulo Guedes “para que ele possa dar uma satisfação não a mim, mas à sociedade brasileira, já que esse recurso deveria estar sendo usado para socorrer o cidadão brasileiro nessa grave crise causada pela pandemia”.

BOLSONARO

O senador ressaltou, em seu pronunciamento, sua indignação ao lembrar todo o esforço que vem sendo feito pelo Poder Legislativo em resposta à crise nacional. “Apesar de a esta altura da vida eu não dever me surpreender com mais nada, ainda hoje me surpreendi com notícia de que o presidente da República diz que há um complô sendo levantado contra ele, liderado por representantes eleitos legitimamente pela população e por representantes dos poderes democraticamente constituídos”, lamentou Jader ao se referir a artigos publicados na imprensa.

A coluna “Painel”, da Folha de São Paulo, divulgou que o presidente Jair Bolsonaro diz ter “informações de inteligência de que Rodrigo Maia (DEM-RJ), o governador João Doria (PSDB-SP) e um setor do Supremo Tribunal Federal (STF) estão tramando um plano para dar um golpe e tirá-lo do governo”.

“Eu gostaria de fazer um apelo: eu não sei se o presidente Jair Bolsonaro leu na sua vida alguma coisa a respeito do Duque de Caxias. Mas ele tem uma série de ilustres generais que o cercam hoje no Palácio do Planalto. O Duque de Caxias, é o Patrono do Exército. E ele ganhou esse título porque foi um pacificador”, destacou Jader Barbalho. Jair Bolsonaro foi capitão do Exército.

“É fundamental que os generais que cercam o presidente da República, além dos outros generais, responsáveis pelas Forças Armadas, se reúnam com o presidente para dizer ‘olhe o nosso Patrono, o Duque de Caxias, era um pacificador’. Porque é um absurdo o que estamos assistindo hoje”, disse, indignado.

“Eu não sei se o presidente Bolsonaro é dado à leitura, eu tenho dúvidas sobre isso, mas os generais que o cercam devem conhecer a história do Duque de Caxias. E nós, brasileiros, devemos estar à altura de ‘O Pacificador’ em defesa da Democracia e dos interesses do Brasil”, concluiu, ao agradecer a atenção dos colegas do plenário do Senado.

Jader Barbalho aproveitou para, mais uma vez ressaltar a importância da realização das sessões plenárias que estão sendo realizadas de forma remota graças ao sistema desenvolvido pela Secretaria de Tecnologia da Informação do Senado (Prodasen).

Ao vivo
Floresta 104,7MHz
Carregando...

Send this to a friend