Carregando...
Ao Vivo
Carregando...
Tucuruí, 18 de January de 2021
Sistema Floresta
SBT Ao Vivo

Bolsonaro deve assinar projeto de privatização da Eletrobras

Por Noticias ao minuto
Publicado em 05 de novembro de 2019 às 13:46H

Compartilhe:

O governo federal deve entregar nesta terça-feira, 5, ao Congresso Nacional o projeto de lei de privatização da Eletrobras, disse o ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, à Globonews. “O presidente Bolsonaro assinando hoje o projeto eu levarei pessoalmente, hoje mesmo, para o presidente da Câmara, Rodrigo Maia.”

Segundo Albuquerque, o governo federal não tem condições de continuar mantendo a estatal, responsável por 46% da transmissão e 30% da produção de energia no País. “A capacidade de investimento da Eletrobras, hoje, é de R$ 3,4 bilhões por ano, mas, apenas para manter essa fatia de mercado na qual opera, ela precisaria investir R$ 14 bilhões”, disse o ministro.

De acordo com Albuquerque, a menos que o patamar de investimento anual suba, em dez anos a participação da empresa cairia para 15% da geração de energia e 35% da transmissão.

O ministro lembrou ainda que o governo federal não tem capacidade de aportar os recursos necessários para manter o patamar de participação da estatal. “O orçamento da União do ano que vem tem apenas R$ 19 bilhões para investimentos e, para manter a Eletrobras, seriam pelo menos R$ 9 bilhões. É inviável”, ponderou.

Sobre o projeto, Albuquerque disse que o governo está “otimista” com seu andamento no Congresso e que já foram feitas conversas com várias lideranças para garantir o andamento do texto. “Nós queremos capitalizar a Eletrobras, para que ela se torne uma corporação e tenha condição de se manter nesse importante mercado.”

Segurança energética

O ministro disse, ainda, que a segurança energética no final do ano está garantida e que não há problemas em vista para o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS).

Segundo Albuquerque, o governo está discutindo com representantes do Congresso Nacional um programa de modernização do setor elétrico, cujo objetivo, além de aumentar a segurança, é garantir justiça tarifária. “Queremos que o consumidor pague tarifas compatíveis com seu poder aquisitivo e com o desenvolvimento sustentável da economia”, afirmou.

O ministro não detalhou as ações do plano, mas disse que espera implementar, em breve, ações que já podem se refletir em benefícios para os consumidores no curto e no médio prazo.

Ao vivo
Floresta 104,7MHz
Carregando...

Send this to a friend