Carregando...
Ao Vivo
Carregando...
Tucuruí, 19 de April de 2021
Sistema Floresta
SBT Ao Vivo

Base curricular do ensino médio deixa de dividir os conteúdos por séries

Por Estadão
Publicado em 04 de abril de 2018 às 11:51H

Compartilhe:

A BNCC da etapa descreve habilidades de forma geral, sem indicar progressão de acordo com a idade do aluno; Física, Química, Biologia, História e Geografia são abordadas de forma interdisciplinar. Formação de professores preocupa especialista.

A BNCC é um documento inédito no País, que descreve os objetivos de aprendizagem de toda a educação básica. Foto: Wilton Júnior/Estadão

Base Nacional Comum Curricular (BNCC) do ensino médio, que foi apresentada nessa terça-feira, 3, pelo Ministério da Educação (MEC), não divide os conhecimentos que devem ser adquiridos pelos estudantes em cada série. As habilidades são descritas de forma geral para toda a etapa, sem qualquer progressão que considere a idade do aluno. Além disso, as únicas duas disciplinas detalhadas no documento – e consideradas obrigatórias em todos os anos – são Língua Portuguesa e Matemática, como adiantou o Estado.

O documento foi entregue nessa terça-feira ao Conselho Nacional de Educação (CNE), que vai agora organizar discussões e audiências públicas antes de colocá-lo em votação. A previsão é de que isso aconteça até dezembro. Mas, em ano eleitoral e com a saída prevista do atual ministro Mendonça Filho (DEM), o processo pode demorar mais.

A BNCC é um documento inédito no País, que descreve os objetivos de aprendizagem de toda a educação básica. As partes relativas ao ensino infantil e ao fundamental foram aprovadas pelo CNE em dezembro, oito meses depois de serem apresentadas. Nelas, há divisão clara entre as séries do fundamental e os objetivos para bebês, crianças bem pequenas e pequenas na educação infantil. Também são descritas habilidades para todas as disciplinas.

 

O texto sobre o ensino médio foi separado do restante por causa da reforma aprovada para esta etapa, que prevê mais flexibilização do currículo (mais informações nesta página). As disciplinas de Física, Química, Biologia, História e Geografia são abordadas de forma interdisciplinar e agrupadas em áreas de conhecimento. O documento, por exemplo, fala em “avaliar explicações sobre o surgimento da Terra” ou “analisar os princípios da Declaração de Direitos Humanos” sem especificar em qual disciplina os assuntos devem ser abordados.

“Eles defendem a interdisciplinaridade, mas para que ela ocorra é preciso espaço para que cada uma das disciplinas seja trabalhada. Com a falta de definições, o aluno vai sair do ensino médio sem uma perspectiva histórica, filosófica, sociológica ou geográfica”, afirma Silvio Carneiro, professor de Filosofia da Universidade Federal do ABC (UFABC).

 

“A Química, a Física e a Biologia desaparecem do ensino médio”, diz o conselheiro da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC) Eduardo Mortimer. Para ele, o documento não considera a formação docente. “Nós não formamos professores para que eles deem aula dessas três disciplinas e o risco é de empobrecermos a formação do aluno.”

Acompanhamento

A professora do Instituto Vera Cruz Maria José Nobrega critica a falta de divisão por séries, algo diferente do que ocorre na parte do ensino fundamental. Para ela, isso prejudica o acompanhamento da evolução da aprendizagem do estudante. “Sem um padrão de organização entre as etapas, você não tem uma definição clara de progressão para a educação básica. Acho perigoso não descrever que nível de desempenho você espera do aluno ao fim do ensino médio.” A educadora também destacou que as habilidades esperadas para essa etapa são similares às propostas para os alunos ao fim do 8.º e do 9.º anos do ensino fundamental. “O que temos agora é quase uma redundância. Esse vai ser um desafio para as redes, porque esse documento não ajuda a estabelecer o que deve ser ensinado no médio.”

Já para a consultora em educação Ilona Becskeházy, a intenção do documento é de que as habilidades esperadas em Linguagens apenas aprofundem o que o aluno aprendeu no ensino fundamental, seguindo o que prevê a reforma do ensino médio. “Se tivermos uma boa implementação nessa primeira etapa, o aluno vai chegar ao ensino médio para aprimorar e aprofundar os conhecimentos. Isso permite a flexibilização dessa etapa”, explica.

 

Ao vivo
Floresta 104,7MHz
Carregando...

Send this to a friend