Carregando...
Ao Vivo
Carregando...
Tucuruí, 16 de April de 2021
Sistema Floresta
SBT Ao Vivo

Quem decepcionou mais? Compare os reforços de 2017 de Flamengo ou Palmeiras

Por MSN
Publicado em 15 de dezembro de 2017 às 15:37H

Compartilhe:

O Palmeiras investiu mais de R$ 100 milhões em reforços na temporada. O Flamengo gastou pouco mais da metade disso, cerca de R$ 58 milhões. Ambos formaram elencos estrelados, alimentaram sonhos dos torcedores e iniciaram o ano como favoritos aos principais títulos. Agora terminam 2017 com outro fator em comum: o sentimento de decepção. O time alviverde não conquistou taça alguma, enquanto a equipe rubro-negra festejou apenas um Estadual.

Mas, entre os dois, quem conseguiu decepcionar mais?

Pensando nisso a redação do ESPN.com.br traçou um comparativo dos reforços de Palmeiras e Flamengo para ver quem se deu melhor e quem se deu pior. Veja abaixo e fique a vontade para opinar e apontar quem decepcionou mais ao final do texto.

  • Elenco do Palmeiras

Turbinado com o patrocínio da Crefisa/FAM, o Palmeiras trouxe 14 jogadores ao longo da atual temporada. A maioria deles chegou no início  do ano, mas a diretoria não deixou de fazer negociações sempre que tinha alguma possibilidade ou algum pedido de treinador. Foi assim que o atacante Deyverson chegou.

Contudo, poucos, bem poucos dos 14 reforços conseguiram se firmar e terminar 2017 em alta.

– DEFESA

Antonio Carlos: 9 jogos (6 como titular)
Foi o sétimo reforço palmeirense na temporada. O zagueiro veio da Ponte Preta indicado pelo técnico Eduardo Batista. Não chegou a ter atuações ruins, mas foi pouco aproveitado. O contrato dele é de empréstimo e terminará em 31 de dezembro. A tendência é que seja renovado por mais um ano.

Juninho: 22 jogos (22 como titular)
Com custo de cerca de R$ 10 milhões, o defensor chegou com grande esperança da diretoria. Foi titular e tinha como vantagem poder jogar na zaga e também na lateral, mas as falhas cometidas na reta final do Brasileiro ficaram marcadas e ele terminou 2017 (muito) contestado.

Luan: 21 jogos (18 como titular) e 1 gol
Palmeiras investiu R$ 10 milhões no defensor para tirá-lo do Vasco e ainda foi paciente para esperar que ele se recuperasse de uma cirurgia no pé direito. Chegou a ser titular durante uma fase da temporada e ganhou elogios. Depois teve uma queda. Foi um ano regular..

Mayke: 26 jogos (26 como titular) e 1 gol
Chegou em maio em uma troca que envolveu a ida de Rafael Marques para o Cruzeiro. Foi muito bem no início, mas depois passou a ter atuações irregulares. Terminou a temporada sem tanta confiança.

– MEIO DE CAMPO

Bruno Henrique: 17 jogos (17 como titular) e 2 gols
O clube investiu cerca de R$ 13 milhões e tinha grandes expectativas. Seu melhor momento foi com Cuca como técnico. Já com Alberto Valentim terminou a temporada sem muita expectativa. Caiu um pouco o desempenho do volante e não participou dos jogos finais.

Felipe Melo: 32 jogos (29 como titular) e 2 gols
O Palmeiras desembolsou R$ 8,4 milhões de luvas (segundo o GloboEsporte.com) para contratar o volante. Ele iniciou bem a temporada, mas tudo mudou após tomar um gancho por dar um soco em jogador do Peñarol. Perdeu espaço após a suspensão sofrida e com a chegada de Cuca. Depois foi afastado do time, quase foi negociado e só voltou a jogar no final do ano. É uma incógnita. Muitos torcedores gostam do estilo de Felipe Melo, que fala o que pensa e é provocador. Mas ele ainda está devendo regularidade.

Guerra: 38 jogos (31 como titular) e 7 gols
O venezuelano foi contratado por cerca de R$ 10 milhões  e foi o principal armador do Palmeiras em 2017. Poderia ter tido um ano ainda melhor não fossem seguidos desgastes físicos, que o tiraram de alguns jogos ou fizeram com que se apresentasse abaixo de seu potencial. Perdeu a vaga no time na reta final da temporada. Vale lembrar que ele também teve problema após o filho sofrer um afogamento.

Hyoran: 7 jogos e 1 gol
A revelação da Chapecoense foi contratada no final de 2016 (os valores não foram relevados), mas teve poucas chances de jogar. Muitos no clube o defenderam dizendo que o meia de 24 anos foi adquirido pensando no futuro.

Michel Bastos: 38 jogos (23 como titular) e 2 gols
Chegou cercado de expectativa, teve atuações boas, mas o final de temporada foi bem decepcionante. A torcida chegou a pegar no pé dele e pedir o afastamento do jogador (que atuou como meia e lateral em 2017). Tudo indica que não deve prosseguir no Palmeiras.

Raphael Veiga: 22 jogos (8 como titular) e 2 gols
Começou a temporada com atuações discretas, mas foi perdendo espaço e ficou quase esquecido. Quando entrou também não empolgou. Mas é jovem e a visão interna é que ele tem condições de se recuperar e se destacar.

– ATAQUE

Borja: 43 jogos (22 como titular) e 10 gols
A maior decepção para os palmeirenses foi o colombiano. O clube investiu R$ 33 milhões no artilheiro da Libertadores de 2016 e destaque do Atlético Nacional. Mas seguidas más atuações e gols incríveis perdidos fizeram com que virasse reserva. Até teve uma retomada nos últimos jogos do ano. Mas foi pouco.

Deyverson: 20 jogos (14 como titular) e 7 gols
Foi um pedido de Cuca e custou ao Palmeiras cerca de R$ 18,7 milhões, vindo do Alavés, da Espanha. O espírito de luta logo agradou aos torcedores, mas atuações irregulares e o fato de não ter sido um dos cobradores de pênalti na eliminação da Libertadores frente ao Barcelona-EQU o fizeram ser questionado. Terminou 2017 marcando gols, mas sob críticas de parte da torcida alviverde.

Keno: 54 jogos (28 como titular) e 11 gols
O final de ano foi muito bom, com assistências e gols. Mas o início do ano fez muito torcedor questionar o investimento de R$ 3 milhões. A dúvida é: qual Keno a torcida verá em 2018?

Willian: 53 jogos (41 como titular) e 17 gols
Foi o reforço que deu certo. Teve boas atuações, marcou gols decisivos e só não teve um ano melhor por conta de uma lesão muscular, em 19 de julho, o que o tirou de combate por quase um mês (inclusive do duelo de volta contra o Barcelona-EQU). Quando voltou fez apresentações boas e outras regulares. Ainda assim nada que maculasse a temporada dele

  • Elenco do Flamengo

– GOL

Diego Alves: 24 jogos (24 como titular) e 25 gols sofridos
Chegou para resolver a posição problema para o Flamengo em 2017. Foi um pedido da torcida rubro-negra. Chegou e já assumiu a posição de titular. Mas deu azar e se machucou na reta final da temporada, o que o fez perder as semifinais e as finais da Copa Sul-Americana. Mas, em campo, justificou o R$ 1 milhão investido.

– DEFESA

Renê: 34 jogos (28 como titular) e 6 gols
Vindo do Sport, o lateral esquerdo veio para ser reserva de Trauco. Custou R$ 3,2 milhões. Até chegou a brigar pelo posto de titular, mas as atuações dele foram bem discretas. Nada que tenha feito a torcida se empolgar.

Rhodolfo: 23 jogos (21 como titular)
O homem da defesa custou cerca de R$ 4 milhões aos cofres rubro-negros. Teve boas atuações, mas ficou marcado por ter perdido o controle ao cobrar Felipe Vizeu na partida contra o Corinthians, em novembro. Quase agrediu o companheiro de time.

Trauco: 53 jogos (52 como titular) e 4 gols
Primeiro reforço do Flamengo em 2017, o lateral teve um bom primeiro semestre. Mas atuações irregulares fizeram com que parte da torcida passasse a contestá-lo. Terminou a temporada criticado.

– MEIO DE CAMPO

Rômulo: 26 jogos (17 como titular) e 1 gol
Assim que chegou assumiu a posição de titular, mas más atuações fizeram o volante perder a vaga justamente para Márcio Araújo, nome que deveria ter colocado na reserva. O fato de não ter tido participação efetiva nas finais da Copa Sul-Americana é a prova de que terminou o ano em baixa.

Everton Ribeiro: 38 jogos (35 como titular) e 7 gols
O Flamengo investiu R$ 20 milhões para contratá-lo e eram muitos clubes interessados. O meia começou bem a temporada, mas acabou decepcionando na reta final do Brasileiro e da Copa Sul-Americana. Prova disso é que ficou no banco contra o Independiente e só entrou no segundo tempo, mas mesmo assim nada fez para justificar um voto de confiança. A torcida pegou no pé dele ao final do jogo no Maracanã (último jogo da temporada).

Conca: 3 jogos
Foram três jogos, mas que se somados dão apenas 27 minutos em campo. Ou seja, o argentino foi a maior decepção do Flamengo na temporada. Vale lembrar que ele já chegou com um problema de lesão. Ficou em tratamento e demorou quatro meses para ficar em forma. Foi liberado antes do segundo jogo da final.

– ATAQUE

Berrío: 46 jogos (24 como titular) e 6 gols
Mais um que teve altos e baixos e ficou aquém do R$ 11 milhões investidos pelo clube para contratá-lo junto ao Atlético Nacional, da Colômbia.

Geuvânio: 17 jogos (9 como titular) e 1 gol
Chegou emprestado pelo Tianjin Quanjian em julho, mas teve poucas chances e terminou o ano em baixa também.

Ao vivo
Floresta 104,7MHz
Carregando...

Send this to a friend