Como prevenir a temida doença? Entenda

© iStock

moda do momento é a comida viva, orgânica e muitas pessoas têm feito pequenas hortas e jardins em casa, até em apartamentos, com o objetivo de ter um cardápio mais saudável possível, o que ajuda diretamente a promoção da saúde e prevenção de doenças.

“Todos os alimentos e práticas devem ser personalizadas para cada tipo de paciente. Caso ele já tenha o diagnóstico da doença, deve-se levar em consideração o tipo de tumor e tratamento realizado, para que o alimento seja realmente indicado e se encaixe adequadamente ao perfil dele”, observa a nutricionista oncológica e ortomolecular do Centro de Excelência Oncológica no Rio de Janeiro, Paula Pratti.

Abaixo, a especialista enumera alimentos que beneficiam essa prevenção e explica o porquê de cada um deles atuar no combate a essa doença, além de dar dicas sobre exercícios e alimentação low carb.

1. Açafrão – Possui uma substância chamada curcumina, utilizada na medicina Ayuverdica, medicina tradicional da Índia, por mais de 6000 anos para o tratamento de diversos tipos de doenças. Atualmente, é um dos princípios ativos mais pesquisados, devido ao seu potencial anti-inflamatório e anti-tumoral. A curcumina pode corrigir alterações no metabolismo celular que desencadeia o surgimento de diversos tipos de câncer, atuando tanto na prevenção quanto durante o tratamento oncológico.

2. Chá verde – Apresenta um dos antioxidantes mais potentes, o Epigalocatequina 3-galato de (EGCG), que neutraliza a formação dos radicais livres, auxiliando na detoxificação do organismo, reduzindo risco de câncer de próstata, mama e leucemia. Estudos sugerem a ingestão de 3-4 xícaras por dia.

3. Crucíferas (brócolis, couve-flor, couve de Bruxelas, repolho) – São alimentos sulfurados, que contêm o composto indol-3-carbinol, que atua na diminuição do estrogênio na circulação sanguínea, impedindo o aparecimento de células cancerígenas, que utilizam esse hormônio para crescer. Esses alimentos ajudam a manter os níveis normais de estrogênio no sangue. Um grande número de pesquisas tem relacionado o consumo regular de crucíferas com um menor risco de câncer de colo do útero, pulmão e mama.

4. Uva e frutas vermelhas – Contém resveratrol, um flavonoide com potencial antioxidante presente em maior quantidade na casca e na semente da uva e que tem sido muito estudado na prevenção do câncer de cólon.

5. Alho cru – Contém alicina, um polifenol que pode atuar na alteração da oncogênese (formação do câncer), levando à redução do risco de câncer, quando incluído na dieta. Uma forma de utilizá-lo cru é incluir em molhos caseiros para saladas.

6. Oleaginosas (castanhas e sementes) – Possuem β-sitosterol, um fitosterol que atua no mecanismo de apoptose celular – a morte da célula cancerígena –, agindo na quimioprevenção do câncer de próstata.

7. Vitamina D – A manutenção dos níveis sanguíneos adequados dessa vitamina pode inibir a proliferação celular e atuar na quimioprevenção do câncer de mama. Atum e ovos são fontes dessa vitamina. No entanto, também é necessária uma pequena exposição solar para ocorrer a formação da vitamina D.

8. Alimentação Low carb (baixo teor de carboidratos) – Consiste na diminuição dos carboidratos refinados e processados como açúcar, farinhas, massas, bolos e biscoitos. Esse tipo de dieta ajuda na prevenção de um grande número de doenças crônicas e degenerativas como obesidade, diabetes e síndrome metabólica, que estão relacionadas ao desenvolvimento de vários tipos de neoplasias malignas.

9. Atividade física – Reduz a adiposidade das células diminuindo sua inflamação, aumenta a resposta imune e diminui a glicemia. Esse conjunto de ações previne o surgimento de células cancerígenas, ajudando a abreviar a fadiga provocada pelo tratamento oncológico”, finaliza a nutricionista.