Além de escolher seus deputados, senadores, governadores e representantes locais, os americanos também decidem nesta terça-feira (6) sobre uma série de plebiscitos estaduais. São 155 propostas em 37 estados de todo o país.

Entre os temas dos principais referendos estão a legalização da maconha para uso medicinal ou recreativo, aumento do salário mínimo, leis sobre aborto e políticas eleitorais. Outras 12 iniciativas já foram votadas em 8 estados antes do pleito geral.

Só no Colorado, 13 propostas serão colocadas para votação. Na Flórida, além dos cargos eletivos, os americanos terão que responder 12 perguntas, e na Califórnia 11.

Cada estado americano, ou condado em alguns casos, conduz as eleições segundo as leis locais. Alguns utilizam urnas eletrônicas, enquanto outros preferem confiar nas cédulas de papel. Os métodos de contabilização dos votos também diferem.

Em certos estados, militares e cidadãos selecionados que moram no exterior são autorizados a enviar seus votos por e-mail, fax ou contabilizá-los em um portal online. Em outros locais, muitos eleitores puderam votar antecipadamente, pelo correio.

Além dos referendos, nessas eleições estão em jogo 435 assentos da Câmara de Representantes, 35 cadeiras do Senado, 36 governos de estados americanos, além de vários cargos locais, como prefeitos, juízes e xerifes.

Entenda algumas das principais propostas em votação nos Estados Unidos nesta terça-feira:

Maconha

Seis propostas em quatro estados sobre a legalização da maconha para uso medicinal ou recreativo são votadas hoje.

No Michigan e na Carolina do Norte, os eleitores decidirão sobre o consumo recreativo da droga, enquanto em Utah e no Missouri sobre o uso para fins médicos. Neste último, serão votados três projetos diferentes, que propõem taxas e formas de venda diferenciadas.

Leis eleitorais

Diversos estados votarão medidas relacionadas a leis eleitorais e direitos ao voto.

Os cidadãos de Maryland e Michigan decidirão se permitem o registro eleitoral no próprio dia da votação. Michigan também votará sobre o registro automático de eleitores que trabalham em determinadas agências governamentais, assim como Nevada.

Arkansas e da Carolina do Norte determinarão a obrigatoriedade da apresentação de um documento com foto para votar. Dakota do Norte decide sobre a inclusão de uma emenda na Constituição estadual que estabeleceria que “somente um cidadão” dos Estados Unidos pode votar, ao contrário do texto atual, que indica que “todo cidadão” tem esse direito.

Na Flórida, se propõem a votação de uma emenda que daria a ex-presidiários o direito ao voto assim que terminarem de cumprir suas sentenças. Atualmente, os criminosos têm de esperar ao menos 5 anos. Já o Estado de Louisiana busca impedir que ex-detentos concorram a cargos públicos em um período de 5 anos após cumprimento da pena.

Propostas relacionadas a financiamento de campanha, gastos políticos e ética também estão presentes nas cédulas do Colorado, Massachusetts, Dakota do Norte e Dakota do Sul.

Salário mínimo

O estado de Arkansas pretende aumentar o salário mínimo local de 8,50 dólares por hora para 11 dólares até o ano de 2012. Para o mesmo período, o Missouri vota a possibilidade de elevar para 12 dólares o salário de 7,85 dólares.

Aborto

O direito ao aborto estará em jogo em três lugares. No Alabama, eleitores devem decidir se o direito à vida dos fetos deve ser reconhecido na Constituição regional. Medidas em West Virginia e no Oregon querem proibir o financiamento público ao procedimento.

Crime e justiça

Eleitores em seis estados – Flórida, Geórgia, Kentucky, Nevada, Carolina do Norte e Oklahoma – vão decidir sobre diferentes versões da chamada Lei de Marsy, adotada primeiramente pela Califórnia.

As propostas tratam da proteção às vítimas de crimes nos Estados Unidos e seus familiares, analisando questões como o direito a notificações sobre datas e detalhes das audiências dos criminosos, soltura sob fiança, entre outras.

Em votação em Washington, uma medida também propõe mudanças nos padrões aceitos para o uso de violência por policiais.

Saúde pública

Propostas em alguns estados também tratam da extensão dos programas de saúde pública e de outros temas relacionados à saúde.

Os eleitores em Idaho, Utah, Nebraska e Montana decidirão pela exigência ou não de seus governos estaduais adotarem algumas das medidas estabelecidas pelo Obamacare, o programa de saúde pública do ex-presidente Barack Obama.

Em Massachusetts será votada uma medida que limita o número de pacientes que enfermeiros devem atender em um hospital. Já em Idaho, os cidadãos decidirão se produtos de higiene femininos, como absorventes, deveriam ser isentos de impostos.