Carregando...
Ao Vivo
Carregando...
Tucuruí, 24 de October de 2021
Sistema Floresta
SBT Ao Vivo

Governo fará levantamento de infectados no Pará para definir fim do lockdown

Por ORM
Publicado em 19 de maio de 2020 às 08:33H

Compartilhe:

A próxima ação do Governo do Estado no combate à covid-19 é iniciar um inquérito epidemiológico, uma espécie de pesquisa, por cidade e região, nos moldes do Ibope (Instituto Brasileiro de Opinião Pública e Estatística), para saber, com precisão, quantos por cento da população já foi infectada. O anúncio foi feito pelo governador Helder Barbalho, nesta segunda-feira (18), em reunião com o ex-ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta. Participaram também da agenda os secretários das pastas da Saúde, Segurança Pública e Administração e Planejamento, além da área técnica da Secretaria de Saúde do Estado (Sespa).

De acordo com o Governo, o inquérito epidemiológico, enquanto ferramenta de pesquisa e controle, já foi usado em vários países da Europa para determinar o fim ou a continuação do lockdown. “Com o resultado dessa testagem nós podemos tomar, tecnicamente, a decisão de até quando vai o lockdown, (para saber) se até o domingo, dia 24, é o suficiente. A medida técnica terá que subsidiar essa decisão. Também para saber se é preciso avançar para outras regiões do Estado e para outros municípios”, disse Helder.

O governador declarou ainda que outra medida a ser tomada é o aumento do número de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI), que deve chegar a 600 em todo o Pará. O aumento, segundo o governo estadual, visa garantir a oferta de leitos clínicos, de atenção básica para a população. O Pará tem, atualmente, 390 leitos exclusivos para pacientes com a covid-19 em todas as regiões de integração do Estado.

Durante a reunião, Luiz Mandetta conheceu os números do Pará, que somavam, nesta segunda-feira, quase 15 mil casos confirmados da Covid-19 e mais de 1,3 mil óbitos. Helder Barbalho disse ao ministro que o período mais crítico da doença ocorreu de 20 de abril até a primeira semana de maio, quando, segundo ele, os serviços de Saúde, privados e do município de Belém, colapsaram e fecharam suas portas para novos atendimentos da covid-19.

“Neste momento decidimos tornar porta-aberta dois serviços de referência da capital paraense, a Políclinica Metropolitana de Belém e o Hospital Dr. Abelardo Santos, que atenderam cerca de 50 mil pessoas em menos de um mês e continuam com os atendimentos, mas em menor escala. No pico da pandemia, o número de mortos saltou de oito por dia para quase 60, hoje estamos em uma média de 16, segundo o Serviço de Verificação de óbitos (SVO)”, detalhou o governador.

A média histórica no mês de abril, segundo o SVO, saltou de 40 por mês para cerca de 600 no período considerado como o pico da pandemia para o governador. Helder declarou que a tendência agora é o número de casos cair na Grande Belém. “Mas a população precisa compreender que o vírus continua a circular, nós temos diariamente identificado cerca de 800, 850 casos de contaminação, mas isso não está aumentando a cada dia, permanece este número adequado, o que nos permite dizer que nós estamos conseguindo conter e só as medidas de isolamento é que tem permitido isto”, enfatizou.

Ao vivo
Floresta 104,7MHz
Carregando...

Send this to a friend