Carregando...
Ao Vivo
Carregando...
Tucuruí, 10 de April de 2021
Sistema Floresta
SBT Ao Vivo

Havaí quer proibir pessoas de usar o celular enquanto atravessam a rua

Por Noticias ao minuto
Publicado em 18 de julho de 2017 às 11:18H

Compartilhe:

Multa pode variar de US$ 15 a US$ 99, dependendo de quantas vezes a infração é cometida.

No Havaí, multa para quem usar o celular enquanto atravessa a rua pode variar de US$ 15 a US$ 99. Foto: Tiago Queiroz/Estadão

Muitos Estados proíbem o uso do celular ao dirigir. No Brasil, o ato é considerado uma infração gravíssima de trânsito. Mas e quanto a usar o aparelho enquanto se anda pelas ruas da cidade?

A Câmara Municipal de Honolulu, no Havaí, aprovou um projeto de lei na semana passada em que proíbe pedestres de olharem para o celular enquanto atravessam a rua.

Pessoas que estiverem fazendo uma ligação de emergência ou oficiais do setor em atividade estão isentos da medida. Nos demais casos, as multas variam de US$ 15 a US$ 99 (R$ 48 a R$ 315 reais), dependendo de quantas vezes a infração é cometida.

A proposta de lei veio do vereador Brandon Elefante, que teve a ideia a partir dos estudantes. “Esses grupos de estudantes estavam preocupados com seus colegas distraídos que atravessavam a rua e olhavam para o celular em vez de olhar para os dois lados”, disse o parlamentar à CNN. “O avanço da tecnologia pode, às vezes, ser uma distração e fazer com que as pessoas não prestem atenção.”

O projeto de lei foi aprovado na Câmara por sete votos a dois. Um dos que votaram contra foi o vereador Ernie Martin, que acredita que há leis demais.

“Dadas as questões que Honolulu enfrenta, como a falta de moradia e o projeto ferroviário com um déficit de US$3 bilhões, há assuntos mais urgentes que eu preferia que focássemos”, disse Martin.

“Sempre tomei cuidado para não introduzir leis para assuntos que poderiam ser abordados de outra maneira”, acrescentou. Segundo ele, uma campanha nas redes sociais seria mais efetiva.

O projeto de lei seguiu para aprovação do prefeito da cidade, Kirk Caldwell, que teria dez dias úteis para decidir. Um porta-voz afirmou que Caldwell estava trabalhando próximo ao vereador que propôs a lei.

Ao vivo
Floresta 104,7MHz
Carregando...

Send this to a friend