Carregando...
Ao Vivo
Carregando...
Tucuruí, 18 de October de 2021
Sistema Floresta
SBT Ao Vivo

ONU classifica de epidemia mortes por overdose nos EUA

Por Yahoo
Publicado em 01 de março de 2018 às 15:11H

Compartilhe:

O número de mortes por overdose, principalmente causadas pelos opioides sintéticos, como o fentanil, alcançou “níveis históricos” nos Estados Unidos, adverte a Junta Internacional de Fiscalização de Entorpecentes (Jife) em relatório sobre a situação das drogas no mundo, publicado nesta quinta-feira.

“Os países da América do Norte, em particular os Estados Unidos e o Canadá, seguem enfrentando uma mortífera epidemia de opioides impulsionada pela crescente disponibilidade de drogas de venda popular e adulteradas com fentanil”, afirma a organização da ONU.

A Jife lembra que as mortes por overdose triplicaram nos Estados Unidos entre 2009 e 2014, chegando este ano a 47.055. A tendência aumentou e, em 2016, o número de mortes alcançou 64 mil, 36% a mais do que em 2014.

A Junta indica que o rápido aumento do número de mortes por overdose parece ser devido à heroína e aos opioides sintéticos diferentes da metadona, especialmente o fentanil, um analgésico sintético 50 vezes mais potente do que a heroína. Assim, estima-se que mais de um terço dessas 64 mil mortes por overdose de 2016 estejam relacionadas ao fentanil e os seus análogos.

Embora a crise, como denomina a própria Jife, tem especial notoriedade nos Estados Unidos, também afeta o Canadá, a Austrália e, em menor medida, ao Reino Unido e a outros países europeus.

Diante dessa “epidemia de overdose”, os países da América do Norte procederam urgentemente a aprovar novos planos, medidas e leis de combate, indica o documento, que lembra que o governo americano declarou uma emergência nacional de saúde pública em 2017. Além disso, o relatório aponta que a disponibilidade e o consumo de cocaína parecem aumentar na América do Norte.

“Nos Estados Unidos, o número de casos de morte por overdose em que se certificou que a cocaína tinha sido a causa do falecimento, com ou sem a presença de opioides, aumentou em mais de 50% de 2015 a 2016”, alerta a Jife.

Com relação ao cannabis, o relatório fala dos processos de legalização aprovados em vários estados dos Estados Unidos e insiste que isso contraria a atual norma internacional. A Jife indica que, segundo os dados de pesquisas nacionais, a legalização do uso do cannabis com finalidades médicas teria acarretado o aumento do consumo de maconha ilícita e dos transtornos relacionados ao consumo dessa planta.

Ao mesmo tempo, indica que “a descriminação do cannabis parece ter levado grupos de criminosos a focarem na fabricação e no tráfico de outras drogas ilícitas, como a heroína”.

Ao vivo
Floresta 104,7MHz
Carregando...

Send this to a friend