Carregando...
Ao Vivo
Carregando...
Tucuruí, 22 de abril de 2019
Sistema Floresta

Ações de segurança fazem homicídios caírem em 23%

Por Dol
Publicado em 13 de abril de 2019 às 09:07H

Compartilhe:
Presença maior da Polícia nas ruas tem como resultado a queda dos índices de violência (Foto: Wagner Santana/Agência Pará)

De janeiro a abril deste ano o Pará registrou queda nos principais índices de crimes cometidos em todo o Estado, em relação ao mesmo período do ano passado. O número de homicídios, por exemplo, caiu 23%. Este e outros indicativos foram apresentados na manhã de ontem (12), na sede da Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (Segup), durante coletiva de imprensa, e fazem parte do balanço dos 100 primeiros dias de Governo na segurança pública estadual.

O titular da Segup, Ualame Machado, mostrou dados sobre homicídios, mortes, roubos e prisões por tráfico de drogas. Em todos os itens, segundo ele, houve redução significativa, seja na capital ou interior do Estado. Em relação aos homicídios, por exemplo, ocorreram 1.038 assassinatos em 2018 contra 799 de janeiro a março deste ano, o que representa a preservação de 239 vidas em todo o Estado. Em Belém foram registradas 148 mortes neste ano contra 217 no ano passado, uma diminuição de 32%, ou 69 vidas preservadas.

Para Machado, os números refletem a nova postura das autoridades diante de temas delicados, que alçavam o Pará ao topo das piores listas e indicativos sociais. “Nós trabalhamos muito com os índices de crimes violentos, que preocupam tanto a população quanto o sistema de segurança. Em termos de homicídio e roubo tivemos diminuições consideráveis. Se compararmos com os últimos 10 anos, tivemos melhoras significativas”, ressalta Ualame.

Em relação aos casos de roubo, o Pará registrou queda de 28%, passando de 33.638 casos em 2018 para 24.189 este ano. Em Belém a diminuição alcança 46%, descendo de 21.492 para 14.840 em 2019.

Quase 7.500 pessoas foram presas pela Polícia Civil

O titular da Segup, Ualame Machado, apresentou os números gerais da segurança junto com o comandante da PM, o delegado-geral Alberto Teixeira e o diretor-geral penitenciário coronel Mauro Matos (Foto: Mauro Ângelo)

O delegado-geral Alberto Teixeira falou em seguida e destacou cinco pontos básicos das atividades especificadas, entre procedimentos instaurados, prisões, combate ao tráfico de drogas, apreensões de armas e operações policiais. No primeiro quesito, nos primeiros 100 dias foram registrados um total de 19.001 procedimentos, maior média desde o ano de 2010, que resultaram em 7.491 prisões, também acima da média anterior.

Foram instaurados 2.374 procedimentos relacionados à prisões por tráfico de drogas e apreendidos mais de 400 quilos de drogas. As apreensões de armas chegaram a 1.076 e foram realizadas 928 operações policiais. De acordo com Teixeira, o Estado deve ainda reforçar a estrutura física para melhor atender a população. “Por enquanto estamos reformando as delegacias que temos. A orientação é reformar aquilo que existe, dando a possibilidade de nossos policiais trabalharem com mais dignidade e condições. Tão logo façamos este ajuste, e com a vinda do concurso público, com certeza vamos inaugurar outras delegacias no Estado”.

Já o coronel Dilson Junior, comandante de Polícia Militar, destacou que a corporação vem passando por um processo de reforço, graças a parcerias com diversos órgãos que cederam policiais militares lá lotados para reforçar a segurança nos horários de maior incidência de crimes. Ele reforçou ainda que o Estado vem atuando contra a criminalidade que atinge os militares, que já resultou em 10 mortes este ano.

“Nós lançamos o aplicativo SOS PM e temos intensificado o treinamento de autoproteção, para que o policial possa identificar situações de perigo, aumentando o nível de alerta para que possa reagir dentro das condições que a situação oferece, além, é claro, dele não ser vítima”.

Sistema Penal tem 20,2mil detentos

Ainda na coletiva, a Superintendência do Sistema Penitenciário do Pará (Susipe) apresentou um raio x da população carcerária, previsões de aumento de vagas e as ações de combate ao crime dentro das cadeias. O diretor geral Penitenciário da Susipe, coronel Mauro Matos, representou o secretário Extraordinário de Estado para Assuntos Penitenciários, Jarbas Vasconcelos na coletiva.

Hoje, o Estado tem 9.970 vagas em 48 unidades e 18.241 presos sob sua custódia e 2.012 monitorados por tornozeleiras eletrônicas, totalizando 20.254 detentos. Desse total, 7.715 são provisórios, 10.154 são sentenciados e 2.385 são provisórios/sentenciados, ou seja, já foram condenados por um crime e aguardam julgamento por outros.

A Susipe informou ainda que houve redução no total de fugas em comparação aos três primeiros meses do ano passado. De janeiro a março de 2018 foram registradas 49 fugas. Neste ano foram 24, sendo que há 78 detentos foragidos. O número de apreensões quase duplicou: no ano passado, foram identificados 467 objetos, como armas de fogo, celulares, estoque, drogas, bebidas alcoólicas e túneis que seriam usados para fugas em massa. Neste ano, após intensas vistorias, houve a apreensão de 758 objetos.

PARA ENTENDER

100 DIAS

– Este ano foram registrados 799 homicídios contra 1.038 no mesmo período de 2018. Foi a terceira redução mais significativa desde 2010.

– Em 2019 foram registrados24.189 roubos contra 33.628 no mesmo período de 2018, sendo a melhor taxa desde 2010.

– Em relação ao tráfico de drogas, foram presas 1.871 pessoas este ano contra 1.729 no mesmo período de 2018.

Fonte: Segup/PA

(Luiz Guilherme Ramos/Diário do Pará)

Ao vivo
Floresta 104,7MHz
Carregando...

Send this to a friend