Carregando...
Ao Vivo
Carregando...
Tucuruí, 27 de October de 2021
Sistema Floresta
SBT Ao Vivo

Alimentação do paraense enfim está mais barata

Por Dol
Publicado em 07 de junho de 2019 às 10:12H

Compartilhe:

Após dois meses seguidos de alta, a alimentação básica do paraense voltou a apresentar recuo de preço. Em maio, a cesta básica em Belém custou R$ 418,05 com queda de 1,21% em relação a abril. Mesmo assim, segundo o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos no Pará (Dieese/PA), comprometeu 45,53% do salário mínimo de R$ 998.

Em maio, a maioria dos produtos da cesta básica apresentou alta, com destaque para o açúcar com reajuste de 2,35%, seguido da banana (2,12%); carne bovina (1,22%); leite (0,46%) e do arroz (0,39%). Ainda no mês passado, alguns produtos apresentaram recuo de preços, com destaque para feijão (19,24%), café (2,04%), tomate (1,73%) e manteiga (0,10%).

Segundo o Dieese/PA, em maio o custo da cesta básica para uma família padrão paraense, composta de dois adultos e duas crianças, ficou em R$ 1.254,15, sendo necessários cerca
de 1,25 salários mínimos.

De acordo com o Dieese/PA, de janeiro a maio, a alimentação básica do paraense sofreu alta de preço de 9,35%, percentual bem acima da inflação estimada para o mesmo período que gira em torno de 2,50%.

Nesse período, a maioria dos produtos que compõem a alimentação básica apresentou alta, com destaque para o feijão com reajuste acumulado de 70,28%, seguido do tomate (29,53%); açúcar (8,54%); carne bovina (5,99%); banana (5,92%) e óleo de soja (3,59%). No mesmo período, alguns produtos apresentaram queda de preços, como café (8,28%), leite (7,98%), farinha de mandioca (4,19%) e do arroz (2,27%).

Para o Dieese, o valor do salário mínimo necessário para atender aos preceitos constitucionais de uma família deveria ter sido, em maio, de R$ 4.290,90, 4,27 vezes maior que o salário mínimo oficial de R$ 998.

Ao vivo
Floresta 104,7MHz
Carregando...

Send this to a friend