Carregando...
Ao Vivo
Carregando...
Tucuruí, 20 de October de 2021
Sistema Floresta
SBT Ao Vivo

Anuário de Segurança Pública revela aumento no número de casos de mortes não esclarecidas no Pará

Por G1
Publicado em 21 de outubro de 2020 às 15:40H

Compartilhe:

Aumentou o número de casos de mortes não esclarecidas no Pará entre 2018 e 2019, segundo o Anuário de Segurança Pública. A situação é uma angústia para quem perdeu familiar e vive a espera de justiça.

Maria do Socorro Silveira precisa conviver com a ausência do filho mais velho. Márcio Assunção tinha 36 anos e dois filhos. O mecânico, que também fazia bicos como mototaxista, foi uma das vítimas da “Chacina do Guamá”, em maio de 2019.

“É muito difícil tu criar um filho… Uma pessoa que tu nem conhece matar teu filho. Sendo que o Márcio não era ladrão, não era assassino, nem traficante. meu filho nunca roubou ninguém, era trabalhador. É muito doído. Eu quero justiça”, afirma a mãe da vítima.

No Brasil, as mortes violentas intencionais cresceram 7,1% no primeiro semestre de 2020 em comparação com o mesmo período de 2019. Já no Pará, houve queda de 25,1% nos registros de mortes violentas, a maior redução do país nesse período. Os dados são do Fórum de Segurança Pública.

O estudo revela outro dado que preocupa. O número de mortes a esclarecer cresceu 21, 6% em um ano no Pará (2018: 223; 2019: 274). Esses casos podem ter sido motivados por violência, mas não entraram para as estatísticas oficiais de homicídios. Isso acontece quando faltam informações sobre vítimas, casos e causas da morte.

De acordo com a Secretaria de Segurança Pública (Segup), o Estado vai investir no aumento de 30% no efetivo de peritos criminais, médicos legistas e auxiliares de perícias, para tentar solucionar essa questão. E também haverá concurso para 1.500 vagas na Polícia Civil e outras 2.500 vagas na Polícia Militar em 2020.

Ao vivo
Floresta 104,7MHz
Carregando...

Send this to a friend