Carregando...
Ao Vivo
Carregando...
Tucuruí, 24 de September de 2021
Sistema Floresta
SBT Ao Vivo

Atuação da Força-Tarefa Penitenciária é prorrogada por mais 90 dias no Pará

Por G1
Publicado em 25 de outubro de 2019 às 10:30H

Compartilhe:

A atuação da Força-Tarefa de Intervenção Penitenciária (FTIP) foi prorrogada por mais 90 dias no Pará. A decisão foi publicada em portaria no Diário Oficial da União (DOU), desta sexta-feira (25). Os agentes da força estão no estado desde julho, quando foram solicitados para pelo Governo Estadual após o massacre no presídio de Altamira. 

O Ministério da Justiça e Segurança Pública autorizou a prorrogação da atuação da força para as atividades de guarda, de vigilância e de custódia de presos. 

O trabalho da FTIP no Pará é alvo de investigações. Acatando uma decisão do Ministério Público Federal (MPF), a Justiça do Pará havia afastado Maycon Rottava do cargo de coordenador da FITP no estado no dia 3 de outubro. Segundo o MPF, investigações apontam suspeitas de atos de tortura, maus tratos e abuso de autoridade contra detentos das unidades penitenciárias em intervenção.

No entanto, no dia 16 de outubro, o Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF1) derrubou a liminar que afastava das funções o coordenador da FITP. 

Massacre em presídio

A força-tarefa foi enviada pelo ministro Sérgio Moro a pedido do governador Helder Barbalho, após um massacre que resultou na morte de 62 presos em um presídio de Altamira, no sudoeste do Pará. 

Um confronto entre facções criminosas causou a morte de 58 detentos. No dia 29 de julho, líderes do Comando Classe A (CCA) incendiaram cela onde estavam internos do Comando Vermelho (CV). Foram 58 mortos. De acordo com a Superintendência do Sistema Penitenciário do Pará (Susipe), 41 morreram asfixiados e 16 foram decapitados. Na terça, mais um corpo foi encontrado carbonizado nos escombros do prédio. 

Após as mortes, o governo do estado determinou a transferência imediata de dez presos para o regime federal. Outros 36 seriam redistribuídos pelos presídios paraenses. 

No dia 31 de julho, quatro envolvidos na chacina de Altamira foram mortos durante o transporte para Belém, segundo a Secretaria de Estado de Segurança Pública (Segup). Com isso, o número de mortos no confronto chega a 62.

Ao vivo
Floresta 104,7MHz
Carregando...

Send this to a friend