Carregando...
Ao Vivo
Carregando...
Tucuruí, 16 de April de 2021
Sistema Floresta
SBT Ao Vivo

Começa retirada de escombros de ponte da Alça Viária que caiu no Pará

Por G1
Publicado em 26 de abril de 2019 às 14:48H

Compartilhe:
Cerca de 200 metros de ponte da Alça VIária cairam após colisão de balsa com pilar da estrutura. — Foto: Secom / Divulgação

Começou na manhã desta sexta-feira (26) o processo de retirada dos escombros da terceira ponte da Alça Viária que caiu sobre o rio Moju, no Pará. Além dos restos da estrutura da ponte também está sendo removida a balsa que se chocou contra o local e causou o desabamento. A previsão do Governo do Estado é que as obras de reconstrução do novo pilar comecem na próxima segunda-feira (29).

No local estão duas balsas com rebocadores e guindastes. Uma delas é adaptada para o içamento. Por hora, os destroços estão sendo apenas removidos para outra área do rio para qu seja liberado o canal e possam começar as obras de reconstrução da estrutura.

“Nossas equipes estão trabalhando dia e noite, à disposição para finalizar o trabalho. Aí, então, faremos o deslocamento das estruturas submersas para liberar a navegação na área”, informou o engenheiro responsável pelo serviço de içamento, Alfredo Cabral.

Começam trabalhos de remoção de escombros da Alça Viária — Foto: Agência Pará

Começam trabalhos de remoção de escombros da Alça Viária — Foto: Agência Pará

Passo a passo

De acordo com o Governo do Estado, o primeiro passo da operação é cravar as novas estacas do pilar central que será construído. Ele vai substituir os três pilares que foram destruídos durante a queda da ponte.

Como já foram realizadas a amarração e afastamento da estrutura destruída e, em breve, a embarcação naufragada será movimentada.

No local serão construídos dois vãos de 124 metros para a navegação, incluindo uma estrutura de proteção para esses pilares, conhecidas como dolfins de proteção. Eles devem impedir o choque direto de embarcações na nova estrutura.

A nova estrutura é baseada no uso de estais, ou seja, cabos de sustentação, que devem diminuir o número de pilares e aumentando a área navegável sob a via. Por causa do cabeamento, o número de pilares será reduzido e a distância entre eles será maior, o que deve minimizar novos acidentes envolvendo embarcações que passam pelo local.

Entenda

No dia 6 de abril um trecho da terceira ponte do Complexo da Alça Viária caiu após uma balsa se chocar contra um dos pilares de sustentação da estrutura. A embarcação não tinha autorização da Capitania dos Portos para navegar.

Desde então os portos de Belém e de cidades vizinhas passaram a ser a principal forma de circulação de pessoas e cargas.

A área onde ocorreu o acidente está interdita para navegação e nesta sexta-feira (26) começaram os trabalhos de remoção dos escombros da ponte e da balsa, o que deve permitir a liberação da passagem de barcos pelo local e diminuir os transtornos causados as comunidades ribeirinhas na área.

O Governo do Estado estima que a obra da nova ponte deve custar R$ 100 milhões e obteve na Justiça o embargo de R$ 118 milhões de seis empresas responsabilizadas pelo acidente.

Ao vivo
Floresta 104,7MHz
Carregando...

Send this to a friend