Carregando...
Ao Vivo
Carregando...
Tucuruí, 25 de January de 2021
Sistema Floresta
SBT Ao Vivo

Em menos de dois meses, Belém registra cinco incêndios

Por ORM
Publicado em 06 de novembro de 2018 às 16:37H

Compartilhe:

A última ocorrência foi registrada na manhã desta terça-feira (6), no bairro do Telégrafo.

Ary Souza/O Liberal

O incêndio ocorrido hoje pela manhã na passagem Rosa Lemos, no bairro do Telégrafo atingiu pelo menos duas casas. Uma delas, de madeira, teve perda total. Na outra, a perda foi parcial, informou o tenente-coronel Eduardo Neto, comandante do 1º Grupamento de Bombeiros Militar (1º GBM).

O fogo começou fogo em uma residência e passou à segunda, que fica ao lado. Não houve feridos, mas a proprietária da casa de madeira passou mal e foi socorrida para receber atendimento médico numa ambulância que estava no local.

Quinze militares do Corpo de Bombeiros foram acionados para conter o fogo. O incêndio foi debelado em 30 minutos. O acesso às residências atingidas é pela avenida Pedro Álvares Cabral

Nesse momento os Bombeiros verificam se mais residências ou outros cômodos de imóveis também foram afetados pelas chamas. Uma perícia vai apontar a causa do incêndio.

CASOS

Ao todo, além de uma loja comercial, incendiada esta segunda-feira (5), 148 pessoas de 49 famílias que moravam em 40 casas já foram atingidas em cinco incêndios registrados na Grande Belém apenas nos últimos dois meses. A média é de uma casa ou loja destruída pelas chamas a cada dois dias.

Em entrevista coletiva concedida na tarde de ontem, o Comando Geral do Corpo de Bombeiros disse que as causas dos incêndios que ocorreram nos últimos dias ainda não podem ser totalmente elucidadas, pois as perícias ainda não foram concluídas.

Sobre o incêndio ocorrido ontem (5) em uma loja no Comércio, foram destacadas cinco viaturas e 40 bombeiros para combater as chamas. O coronel Roger Teixeira destacou que o centro comercial de Belém é propenso a esse tipo de sinistro, levando em conta as estruturas antigas do local, com instalações elétricas precárias e o armazenamento de materiais inflamáveis nos estabelecimentos.

Na sexta passada (2), por volta da 9h do feriado, onze casas foram destruídas por outra ocorrência, que deixou 26 moradores sem abrigo na Vila L, na travessa Timbó, no bairro da Pedreira.

No Jurunas, no último dia 28/10, cerca de 30 pessoas de 10 famílias foram atingidas por incêndio que destruiu totalmente duas casas e atingiu outras cinco, parcialmente danificadas, à noite na Vila Nova, passagem São Silvestre, entre Carlos de Carvalho e Tabatinga.

Outras vinte 20 casas ficaram destruídas pelas chamas no incêndio que atingiu a Vila da Barca, na madrugada entre 11 e 12 de setembro, que atingiu 84 pessoas de 26 famílias no bairro do Telégrafo. A tragédia completará dois meses no próximo domingo sem que as causas sejam elucidadas.

CHAMAS

Desde o início do ano e até hoje, já foram registrados 933 incêndios em edificações em todo o Estado do Pará, aponta balanço feito esta semana pelos Bombeiros. No total, 3.836 focos de incêndio foram combatidos, entre edificações, veículos e incêndios em vegetação.

O número está abaixo do computado no ano passado, quando 4.106 casos foram registrados no mesmo período. Contudo, o registro de incêndios em edificações como habitações e comércios, que foi de 795 em 2017, teve aumento significativo em 2018.

Os bombeiros dizem que população precisa participar mais da prevenção de incêndios, pois a maioria dos casos começa dentro das casas e podem ser detectados.

Os bombeiros recomendam não sobrecarregar tomadas com vários aparelhos diferentes ligados, pois isso pode causar aquecimento da fiação. Também não se pode atravessar a mangueira do botijão de gás por trás do fogão, além de não usar velas ou qualquer outro tipo de chama próximo de materiais inflamáveis, como cortinas, tapetes, camas ou sofás.

Ao vivo
Floresta 104,7MHz
Carregando...

Send this to a friend