Carregando...
Ao Vivo
Carregando...
Tucuruí, 20 de October de 2021
Sistema Floresta
SBT Ao Vivo

Festival virtual reúne 18 atrações artísticas do interior do Pará

Por G1
Publicado em 27 de agosto de 2021 às 01:03H

Compartilhe:
Festival Rio Ouricuri valoriza artistas do interior do Pará. — Foto: Divulgação

O Festival Rio Ouricuri vai reunir 18 atrações artísticas de Capanema, Bragança, Santarém Novo, Castanhal, Igarapé-Açu, Primavera, Belém, Capitão Poço, Vigia e Marabá, nesta sexta (27) e sábado (28), sempre a partir das 20h, transmitindo arte, música e sustentabilidade. A programação é totalmente virtual, em canal na internet.

A primeira noite se inicia com a estreia da castanhalense Ceuvatika em festivais. Ela traz em letras e melodias a força feminina. Em seguida, a delicadeza dos versos do Dick Casanova e o projeto novo e maduro de Allex Ribeiro, que apresentará uma música inédita composta com Zeca Baleiro. Completam a primeira noite de apresentações musicais a participação cheia de estilo e versos fortes de N-day e a explosão do Grupo Ouricuri de Carimbó, de Capanema.

Já a segunda noite, no sábado (28), começa com o show de Mc Pokaroupas, artista natural da cidade que apresenta o single “Tá calor” e a música do novo clipe “Curupiranha”. Também tem a experiência e maturidade da banda de rock Redima com os lançamentos do seu EP “Depois da Euforia”. Dead Now, banda de Castanhal apresenta o experimentalismo no rock. Logo em seguida, tem a apresentação da banda Los pelicanos e Paralelo Onze, de Capitão Poço e Primavera, respectivamente. Finalizando a noite, a apresentação da banda Cérebro de Galinha, uma das bandas promissoras do punk rock nacional.

Apresentações artísticas

O festival foi concebido em formato de programa de TV e a cada duas apresentações musicais são apresentadas performances artísticas com elementos culturais da marujada, afrodance, break, carimbó e música contemporânea.

Na primeira noite o Projeto “Arte na Veia” apresenta o talento das jovens de Igarapé-açu. Tem o grupo “Dançando a Tradição” que traz uma apresentação de dança e a performance do grupo “Amscap”, Associação da Marujada de São Sebastião de Capanema.

A segunda noite traz a apresentação sofisticada de “Allyster Fagundes”, a energia do grupo de dança “CSC Crew” e a performance-protesto de Gessica Lima que traz em videoclipe a crítica à indústria da agropecuária e os efeitos para o meio ambiente.

Premiação

Pela primeira vez, o festival vai premiar o artistas, com o Prêmio Rio Ouricuri de Sustentabilidade, com objetivo de incentivar, valorizar e divulgar ações e práticas mais sustentáveis. A escolhida foi a Raimunda Tavares do Santos da vila Segredinho, município de Capanema.

Feira criativa e palestras

Devido à pandemia, alternativas foram criadas para contornar a necessidade de realização da feira agroecológica e feira criativa que seriam presenciais.

No lugar de eventos que gerariam aglomeração, conteúdos audiovisuais foram criados e serviços foram estimulados para dar conta de incentivar o consumo de alimentos agroecológicos direto do produtor, reforçando o pilar sustentabilidade.

Um dos conteúdos é o vídeo que apresenta o paneiro agroecológico, iniciativa que permitirá a população adquirir produtos direto do produtor da agricultura familiar. A programação também conta com uma programação de três palestras sobre os temas: Agroecologia, Financiamento de projetos e Economia Criativa.

O festival

Chegando à terceira edição, o Festival Rio Ouricuri traz, em dois dias de eventos, realizados virtualmente, uma programação gratuita acessível e inclusiva com apresentações musicais, dança, feira agroecológica, feira Criativa, palestras e oficinas alinhados aos três eixos do festival: música arte e sustentabilidade.

A programação busca o fomento da economia criativa e solidária, impulsionar a ocupação criativa e solidária dos espaços públicos com entretenimento gratuito, acessível e inclusivo. Além de entreter e apresentar artistas, o festival busca propiciar espaços de capacitação para o público, com oficinas e palestras.

“Desde a primeira edição, o festival foi criado como uma estratégia de apresentação e difusão da arte independente produzida na região do nordeste paraense. Buscamos ocupar espaços públicos e democratizar a arte produzida no interior do estado, valorizando mulheres, populações tradicionais e grupos LGBTQIA+”, afirma Geovane Máximo, coordenador do evento.

Esta edição do Festival Rio Ouricuri tem patrocínio da Lei Aldir Blanc. Mais informações no site.

Ao vivo
Floresta 104,7MHz
Carregando...

Send this to a friend