Carregando...
Ao Vivo
Carregando...
Tucuruí, 27 de January de 2021
Sistema Floresta
SBT Ao Vivo

Pará é o terceiro Estado com maior quantidade de beneficiados pelo auxílio emergencial

Por ORM
Publicado em 25 de setembro de 2020 às 05:54H

Compartilhe:

O Pará é o terceiro Estado brasileiro com a maior quantidade de domicílios que receberam auxílio emergencial em agosto. Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) foram 64,5% dos domicílios paraenses que receberam o auxílio de R$ 600. A frente do Pará somente o Maranhão com 65,5% e o Amapá com 71,1%. As regiões Norte e Nordeste foram as que apresentaram as maiores proporções de domicílios onde ao menos um dos moradores recebeu algum tipo de auxílio emergencial. Após o Pará e o Maranhão vem os Estados do Alagoas (63,5%), Amazonas (61,9%) e Piauí (61,8%).

Todos os demais estados do Nordeste e Norte tiveram mais da metade dos domicílios recebendo auxílio emergencial, enquanto os estados das demais regiões ficaram todos com menos de 50% dos domicílios beneficiados.

O estudo do IBGE também apontou que os auxílios emergenciais estão sendo muito importantes para as famílias brasileiras mais pobres, que tiveram alta de mais de 2.000% na renda familiar com o benefício. Em agosto, aproximadamente 6,6 milhões de domicílios tiveram a média da renda per capita de R$ 12,47. A renda per capita é resultado da soma dos rendimentos de todos os membros da família dividida pela quantidade de pessoas na residência. Já com o auxílio, essa renda saltou para R$ 349,48 – uma alta de 2.703%. Destes 6,6 milhões de brasileiros mais pobres, quase um milhão não recebeu nenhum auxílio relacionado à pandemia do novo coronavírus. Esse milhão de pessoas teve a renda máxima de R$ 88,03.

Para os domicílios cuja renda média per capital em agosto foi de R$ 192,27, com o auxílio esse valor subiu para R$ 436,27, uma alta de aproximadamente 127%. Já para aqueles com rendimento médio de R$ 342,11, o auxílio aumentou o valor em cerca de 63%, chegando a R$ 558,90. O instituto evidencia o quanto o benefício é relevante para os mais pobres. O órgão considerou como auxílio emergencial relacionado à pandemia tanto o auxílio emergencial de R$ 600, quanto a complementação do Governo pelo Programa Emergencial de Manutenção do Emprego e da Renda.

Outro levantamento feito pelo G1 mostrou que o número de brasileiros que estavam recebendo o auxílio emergencial foi quase o dobro de trabalhadores com trabalhos formais em julho. Há dois meses o país tinha 37,7 milhões de trabalhadores com carteira assinada e o número de beneficiários do Auxílio em 65,6 milhões. Os beneficiários do auxílio emergencial supera o total de empregos formais em 25 estados, as exceções são o Distrito Federal e Santa Catarina. O Estado do Pará tem mais de quatro vezes mais beneficiários dos auxílios emergenciais do que empregos formais. O total de empregos no Pará foi de aproximadamente 737 mil, enquanto que o total de beneficiários do programa governamental foi de 3,255 milhões.

Ao vivo
Floresta 104,7MHz
Carregando...

Send this to a friend