Carregando...
Ao Vivo
Carregando...
Tucuruí, 02 de August de 2021
Sistema Floresta
SBT Ao Vivo

Pedro retorna pra casa após longo tratamento e família agradece doações de plaquetas

Por Paco Martins
Publicado em 20 de setembro de 2016 às 16:36H

Compartilhe:

pedro-prontoO pequeno Pedro Henrique Corrêa da Silva de apenas um ano, recebeu alta do Hospital Regional de Tucuruí HRT, após longo tratamento. Pedro ficou 29 dias internado no referido hospital, por conta de uma forte catapora. Após a realização de exames, foi descoberto que ele havia contraído uma bactéria que deixou familiares apavorados.

A luta em favor da vida da criança, contaria a partir de então com a fé e a solidariedade das pessoas. Campanhas em redes sociais fortaleceram as esperanças de todos, especialmente dos pais, que ao descobrir a gravidade do problema, se mudaram para o hospital.

Após a internação, o caso se agravou, os medicamentos não conseguiam combater a doença, ele precisou de plaquetas e após a divulgação do caso, doações foram feitas em diversos municípios do estado. A esperança se renovava a cada confirmação de doadores.

Dos 29 dias, foram 17 só na UTI respirando com a ajuda de aparelhos, mas a situação era grave, Pedro parou de produzir plaquetas e passou 4 dias dependendo de aparelhos.

Médicos e equipe de profissionais do Hospital Regional de Tucuruí HRT, buscavam explicação e uma cura. No mesmo ambiente e fora de lá, a família se manteve unida em oração. Pedro foi então encaminhado ao Unidade de Terapia Intensiva UTI. Após vários dias  internado, começaram os primeiros resultados positivos.

Pedro finalmente começou a reagir ao tratamento, a cada dia uma nova esperança, um novo sorriso no rosto de quem acompanhava o caso. Em fim ele começou a se alimentar, logo depois deixou a UTI. Emoção e fé eram sentimentos que alternavam entre si.

Fotos, sorrisos e agradecimentos fizeram parte do dia de todos, principalmente dos pais de Pedro, que puderam retornar pra casa em Breu Branco.

“- Eu nunca perdi as esperanças, tinha certeza que ele iria sobreviver, nossa alegria não poderia deixar de existir, tivemos muita fé, muito apoio, de pessoas que nunca vimos e talvez nunca veremos, mas que se disponibilizaram em ajudar, em lutar conosco, a vitória não foi só do Pedro, nem nossa, foi de todos que de alguma forma deram sua contribuição. A palavra obrigado não justifica nossa alegria, sei que ela é uma forma muito pequena de expressar a grandiosidade dessa união pela vida.” Exclamou emocionada Lisbete Martins, mãe de Pedro.

“-Para mim sem dúvidas, um dos momentos mais difíceis, foi quando ele parou de produzir plaquetas, que fomos informados que ele dependia 100% de aparelhos, a minha vontade era tirar meu filho dali e ficar no lugar dele ou fazer algo que pudesse deixa-lo sem sofrer e deixasse que eu ficasse sofrendo por ele. Quem já passou por isso sabe bem o que estou falando. Fomos fortes, precisávamos ser, eu mal conseguia tomar banho ou comer e já voltava para o hospital, queria estar sempre perto. Tinha fé assim como a mãe, a família, os amigos as avós que tudo terminaria bem, terminou. Hoje só temos a agradecer, pois não há dinheiro que pague o que sentimos hoje com o retorno do nosso filho, da nossa alegria, nosso sonho. Salientou Rosivaldo da Silva, pai de Pedro.

Com a volta da criança para casa, os familiares naturalmente que ainda emocionados agradeceram a Deus pela recuperação de Pedrinho.

Ao vivo
Floresta 104,7MHz
Carregando...

Send this to a friend