Carregando...
Ao Vivo
Carregando...
Tucuruí, 22 de April de 2021
Sistema Floresta
SBT Ao Vivo

Relatora da ONU vai ao Pará após denúncias envolvendo pessoas com hanseníase

Por EBC
Publicado em 14 de maio de 2019 às 10:10H

Compartilhe:

O Brasil é o país com a maior incidência de hanseníase no mundo. Em números absolutos, só fica atrás da Índia. São cerca de 26 mil novos casos por ano.

O Pará é um dos estados com alto número de notificações. Concentra cerca de 20% dos casos de hanseníase em criança de todo o país.

Esses números levaram para Belém a relatora especial da Organização das Nações Unidas para a eliminação da discriminação de pessoas atingidas pela hanseníase, Alice Cruz.

Ela recebeu denúncias e demandas reunidas pelo Núcleo de Defesa dos Direitos Humanos da Defensoria Pública do Estado.

A coordenadora desse núcleo, Juliana Oliveira, destacou a situação de pessoas que, na infância, foram separadas dos pais com hanseníase e hoje buscam indenização do Estado brasileiro.

Pessoas que vivem com hanseníase estiveram reunidas com a relatora da ONU e falaram sobre as dificuldades de acesso a tratamento e reabilitação, já que mesmo depois de tratada a hanseníase deixa sequelas.

Representantes de órgãos do governo estadual também participaram desses encontros.

O coordenador do Movimento de Reintegração das Pessoas Atingidas por Hanseníase, Artur Custódio, afirma que existe uma expectativa positiva em relação ao trabalho da relatora da ONU.

A Defensoria Pública do Pará e a Defensoria Pública da União fazem nos próximos dias um levantamento fundiário da localização de pessoas que viveram nas antigas colônias de isolamento.

Elas pedem a titulação de parte dessas terras.

Também será apurada a falta de medicamentos para pessoas com hanseníase na rede pública e o não pagamento de benefícios previstos em lei para uma parcela desse grupo.

Ao vivo
Floresta 104,7MHz
Carregando...

Send this to a friend