Carregando...
Ao Vivo
Carregando...
Tucuruí, 18 de April de 2021
Sistema Floresta
SBT Ao Vivo

UFPA participa de estudo internacional que avalia tratamentos para a Covid-19

Por G1
Publicado em 02 de abril de 2020 às 11:26H

Compartilhe:
30 de enero 2020rSubsecretaria Paula Daza, visitando laboratorio de ispch que cuenta con nueva tŽcnica de PCR para confirmaci—n diagn—stica de nuevo coronavirus r Fotos: Alejandra De Lucca V. / Minsal 2020

A Universidade Federal do Pará (UFPA) é uma da 17 instituições brasileiras que participarão de estudo coordenado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) que vai testar quatro tratamentos para a Covid-19, que vai avaliar os efeitos deles. No Pará, a pesquisa será realizada no Hospital Universitário João de Barros Barreto (HUJBB).

As medicações a serem testadas já são utilizadas para outras enfermidades. A expectativa é que os resultados auxiliem tanto pacientes que atestaram positivo para o coronavírus, quanto profissionais de saúde e grupos que possuem maior risco de serem infectados pelo coronavírus.

O projeto tem como título: “Solidarity (Solidariedade, em Língua Portuguesa) – Um estudo internacional randomizado de tratamentos adicionais para a COVID-19 em pacientes hospitalizados recebendo o padrão local de tratamento”.

A pesquisa é liderada no Pará pela professora, pesquisadora e médica infectologista da UFPA Rita Medeiros. Da região Norte, também participa do estudo a equipe da Fundação de Medicina Tropical do Amazonas.

“Ao integrarmos o estudo, teremos acesso aos medicamentos. Apesar de, no momento, não podermos afirmar a eficácia dessas medicações, estaremos na linha de frente na busca de soluções para os nossos pacientes. Além disso, será uma excelente oportunidade de formação para nossos alunos e médicos já atuantes na rede, inclusive para nós, pesquisadores”, destaca Rita Medeiros.

A professora Regina Feio Barroso, superintendente do Complexo Hospitalar Universitário da UFPA ressaltou o papel científico da unidade. “O Hospital Barros Barreto, sendo parte integrante do Sistema Único de Saúde, tem também a função social de produzir conhecimento científico e tecnológico para atender à população, com excelência. Por isso é importantíssimo que esse hospital universitário contribua nesse estudo inovador que pode salvar muitas vidas, assim como formar profissionais qualificados na luta contra a COVID-19”, diz.

Perfil da amostra

A amostra da pesquisa é randomizada, ou seja, aleatória. Assim, poderá participar qualquer paciente com idade a partir de 18 anos que esteja internado nos hospitais integrantes do estudo com diagnóstico definitivo de COVID-19. Para a participação, será necessária apenas a assinatura de um termo de consentimento livre, que será disponibilizado pela OMS.

A previsão é que a pesquisa inicie nas primeiras semanas de abril. Estima-se que o número de participantes em todo o mundo será de 5.000 pacientes, sendo 1.200 no Brasil. Pesquisas semelhantes com os mesmos ou outros medicamentos também estão sendo conduzidas por outras redes de pesquisa.

Ao vivo
Floresta 104,7MHz
Carregando...

Send this to a friend