Carregando...
Ao Vivo
Carregando...
Tucuruí, 18 de October de 2021
Sistema Floresta
SBT Ao Vivo

Pará cria 1,1 mil empregos com carteira assinada em junho

Por ORM
Publicado em 26 de julho de 2019 às 11:55H

Compartilhe:
Brazilian work document and social security document (carteira de trabalho) on white background

O mercado de trabalho formal do Pará voltou a fechar o mês com saldo positivo, registrando em junho a geração de 1.137 novos empregos celetistas. O saldo é decorrente de 22.122 contratações e 20.985 desligamentos. Esse é o melhor resultado para o mês de junho no Estado em cinco anos, desde 2014, quando foram criadas 6.025 vagas formais, segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgado ontem (25) pela Secretaria Especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia.

No mesmo período do ano passado, o Estado registrou saldo positivo mais modesto, com 824 novos postos de trabalho. Já na análise mensal, o resultado positivo de junho repete o desempenho de maio (+2.549), que interrompeu dois meses consecutivos de perdas (abril, -4.116 postos de trabalho; e maio, -25). Com mais esse saldo mensal, o mercado formal do Estado encerrou os primeiro semestre de 2019 com a redução de 2.855 empregos celetistas – 132.927 admissões e 135.782 desligamentos. Nos últimos 12 meses (entre junho de 2018 e junho de 2019), a economia paraense voltou a acumular, depois de três anos, mais contratações (274.490) do que demissões (265.241): 9.249.

Ao todo, 19 das 27 Unidades da Federação alcançaram variação positiva em junho, sendo que São Paulo (18.262), Minas Gerais (11.603) e Mato Grosso (7.367) despontaram com os maiores saldos. Entre os Estados que apresentaram oscilação negativa, os principais recuos ocorreram no Rio Grande do Sul, com o fechamento de 3.812 postos; e no Espírito Santo (-1.152). Quatro das cinco regiões brasileiras tiveram saldo positivo em junho. Em números absolutos, o melhor resultado é do Sudeste, com 31.054 postos de trabalho criados. No período, o Centro-Oeste registrou 10.952 novas vagas, o Nordeste criou 5.142 postos formais no período e o Norte, 4.002. Apenas no Sul houve mais demissões que admissões, com saldo negativo de 2.714 postos.

Em todo o País, foram abertas 48.436 novas vagas de emprego com carteira assinada em junho, resultado de 1.248.106 admissões e 1.199.670 desligamentos. É o melhor saldo para o mês desde 2013, quando foram criadas 123.836 vagas formais. No acumulado do primeiro semestre do ano, o País registrou a criação de 408.500 vagas com carteira. Em 12 meses até junho, o saldo é positivo em 524.931 postos de trabalho.

Setores

No Pará, o resultado positivo de junho foi puxado, principalmente, pela alta dos empregos no setor da Construção Civil, com mais 1.125 postos. Ainda registraram mais contratações de emprego do que perdas os setores de Serviços (534), da Agropecuária (178), da Extrativa Mineral (130) e dos os Serviços Industriais de Utilidade Pública – SIUP (51). Na outra ponta, o Comércio, foi o que mais reduziu vagas formais, com saldo negativo de 569 postos. Na sequência surgem a Indústria de Transformação (-311) e a Administração Pública (-1).

Ainda de acordo com o Caged, Parauapebas surge como o município que mais aumentou o estoque de empregos no mês, com geração de 492 postos de trabalho. No total, foram 2.106 contratações e 1.614 demissões no município do sudeste paraense. Belém foi o que registrou o segundo maior saldo, com mais 234 empregos celetistas (6.426 admissões e 6.192 desligamentos). Na sequencia aparecem Itupiranga (162), Barcarena (157) e Ananindeua (146).

Altamira, por outro lado, foi o que mais perdeu empregos formais no Estado em junho, com saldo negativo de 104 postos. O município registrou no sexto mês do ano 655 trabalhadores contratados e 759 demitidos. Também com saldos negativos, surgem nas posições seguintes Xinguara (-84), Tucuruí (-78) e Moju (-77).

Ao vivo
Floresta 104,7MHz
Carregando...

Send this to a friend