Carregando...
Ao Vivo
Carregando...
Tucuruí, 17 de October de 2021
Sistema Floresta
SBT Ao Vivo

Pesquisa do IBGE aponta que Belém teve o pior PIB per capita entre as capitais

Por ORM
Publicado em 16 de dezembro de 2020 às 17:11H

Compartilhe:

Belém foi a capital com pior Produto Interno Bruto (PIB) per capita em 2018, com R$ 21.191,47. O indicador aponta a soma dos bens e serviços produzidos na localidade, dividido pelo número de habitantes. Os dados são da pesquisa PIB dos Municípios 2018, divulgada nesta quarta-feira (16) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Entre as capitais, Brasília, com R$ 85.661,39, ocupou a primeira posição. Enquanto a capital federal alcançou valor 2,55 vezes maior que o nacional, de R$ 33.593,82, em Belém a razão foi 0,63. No mesmo ano, dez capitais tinham PIB per capita maior do que o nacional; em 2002 eram 11.

Além das capitais, os dez municípios com os maiores PIB per capita somavam 1,5% do PIB nacional e 0,2% da população em 2018. Um deles é Vitória do Xingu (PA), no sudoeste do Pará, que alcançou a sétima posição, segundo o IBGE, graças à geração de energia hidrelétrica. Nesse ponto, a liderança foi de Presidente Kennedy (ES), com R$ 583.171,85, devido à extração de petróleo.https://531c87660f54837c70e3eb49efebb1c8.safeframe.googlesyndication.com/safeframe/1-0-37/html/container.html

Um outro município do Pará que recebeu destaque na pesquisa do IBGE, foi Parauapebas, no sudeste do Estado, que teve uma das maiores quedas de participação no PIB do país. O principal motivo foi a queda na extração de minério de ferro naquele ano.

Pesquisa mostra concentração do PIB no país

A pesquisa também mostra a concentração de riqueza no país. Em 2018, 100 municípios detinham 55% do PIB. Em 2002, era 59%. O Brasil tem 5.570 cidades. Dos 25 maiores PIBs, 12 capitais somavam 27,6% da produção e 13 não capitais, 8,6%. O líder em participação era São Paulo, responsável por 10,2% do PIB do país que, chegou a R$ 7 trilhões, seguido do Rio de Janeiro (5,2%) e Brasília (3,6%).

A atividade econômica na região de São Paulo, que reúne 92 municípios adjacentes à capital paulista, com forte interação, gerava o equivalente a um quarto do PIB do país.

“É um indicador de concentração evidente, mas tem uma tendência de desconcentração em relação a 2002”, disse o analista do IBGE, Luiz Antonio de Sá.

Os 1.346 municípios de menores PIBs responderam por cerca de 1% do PIB do país e por 3,1% da população brasileira. “Nota-se que, entre esses, os situados nos estados do Piauí (156), Paraíba (134), Rio Grande do Norte (79) e Tocantins (69) representavam cerca de 50% das municipalidades de seus respectivos estados. Em 2002, 1.383 correspondiam a 1% do PIB e somavam 3,7% da população nacional”, informou o IBGE.

Ao vivo
Floresta 104,7MHz
Carregando...

Send this to a friend