Carregando...
Ao Vivo
Carregando...
Tucuruí, 20 de April de 2021
Sistema Floresta
SBT Ao Vivo

Ministro prevê redução de orçamento para instituições de pesquisas

Por ORM
Publicado em 07 de outubro de 2020 às 05:31H

Compartilhe:

O ministro de Ciência, Tecnologia e Inovações, Marcos Pontes, prevê que os orçamentos das instituições de ciência e pesquisa terão reduções em 2021. Em visita ao Museu Paraense Emílio Goeldi (MPEG), na tarde desta terça-feira, 6, o ministro explicou que o governo federal tem estimado uma redução de aproximadamente 15% para o próximo ano e os cortes nos orçamentos nas instituições de pesquisa devem ocorrer. Essa foi a primeira visita do ministro Marcos Pontes à Belém e ao Museu Emílio Goeldi.

“Sobre o orçamento de 2019 e 2020, eu consegui preservar o orçamento das unidades de pesquisa como o Museu Goeldi e das bolsas do CNPQ, ou seja, não teve nenhuma bolsa cortada, não teve nenhum orçamento reduzido. Para esse ano a expectativa do orçamento do ano que vem é queda de 15%. No estado que já estamos fica muito difícil que eu preserve o orçamento [das instituições], já não tenho de onde prever o restante. Deve haver alguma redução, estou discutindo isso com a [pasta] Economia”, adiantou.

A visita do ministro coincidiu com o aniversário de 154 anos do Museu Paraeense Emílio Goeldi

A visita do ministro coincidiu com o aniversário de 154 anos do Museu Paraeense Emílio Goeldi (Thiago Gomes / O Liberal)

Em Belém, o ministro visitou o Parque Zoobotânico, no centro da cidade, e as instalações do Campus de Pesquisa do Museu Emílio Goeldi, na avenida Perimetral, bairro da Terra Firme. No campus de pesquisa, ele percorreu o setor de arqueologia, a Biblioteca Domingos Soares Ferreira Penna e o herbário. A agenda fez parte da programação do Mês Nacional da Ciência, Tecnologia e Inovações, criado pelo decreto federal nº 10.497/2020. O dia da visita coincidiu com o aniversário de 154 anos da instituição científica do Pará. O ministro participou de uma live com a diretora do MPEG, Ana Luisa Mangabeira Albernaz, para falar sobre as atividades e ações do Museu.

Durante a coletiva de imprensa o ministro ainda explicou que sempre tenta manter os recursos em diálogo com o Ministério da Economia, comandado por Paulo Guedes. Em 2019 e 2020, Pontes destacou que conseguiu que não houvessem cortes das bolsas do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPQ), principal instituição de custeio de bolsas, e das instituições de pesquisa como o Museu Paraense Emílio Goeldi.

Em Belém, o ministro visitou o Parque Zoobotânico e as instalações do Campus de Pesquisa do Museu Emílio Goeldi, na avenida Perimetral

Em Belém, o ministro visitou o Parque Zoobotânico e as instalações do Campus de Pesquisa do Museu Emílio Goeldi, na avenida Perimetral (Thiago Gomes / O Liberal)

“Duas coisas que a gente se preocupa muito. Uma é orçamento e outra são as pessoas. Não se fala muito de pessoal, mas pessoal é outra preocupação que temos. Os pesquisadores vão ficando antigos, vão ficando mais velhos, vão se aposentando, e não é fácil você formar um pesquisador para ter a reposição, que pode ser por concurso público ou outros mecanismos, mas a gente precisa ter isso discutido”, afirmou.

Para solucionar o problema de recursos, Pontes criou a Secretaria de Fundos e Projetos, que tem o intuito de planejar a adaptação das instituições para se conseguir recursos para pesquisas científicas por outros meios como fundos privados, nacionais e internacionais. A ideia é que o custeio das instituições seja feito pelo Estado e as pesquisas sejam financiadas por outros meios.

O ministro participou de uma live com a diretora do MPEG, Ana Luisa Mangabeira Albernaz, para falar sobre as atividades e ações do Museu Emílio Goeldi

O ministro participou de uma live com a diretora do MPEG, Ana Luisa Mangabeira Albernaz, para falar sobre as atividades e ações do Museu Emílio Goeldi (Thiago Gomes / O Liberal)

“Desde 2013, o ministério tem o orçamento reduzido e você tem que buscar alternativas, por isso que nós criamos essa Secretaria de Fundos e Projetos para que as nossas unidades de pesquisa façam projetos muito bem estabelecidos e formatados, que possam ter o interesse do setor privado, ou de outros fundos e meios. Dentro da secretaria temos um número grande de projetos de fundos internacionais, nacionais, fundos patrimoniais, e outras metodologias que estamos desenvolvendo para que no final desse processo, o orçamento da União sirva mais para o custeio das unidades e os projetos sejam financiados por outras maneiras, e fontes, mas isso não acontece de um dia para o outro”.

Ao vivo
Floresta 104,7MHz
Carregando...

Send this to a friend