Carregando...
Ao Vivo
Carregando...
Tucuruí, 28 de October de 2021
Sistema Floresta
SBT Ao Vivo

Pará pode ser um dos mais beneficiados com PL do saneamento básico

Por ORM
Publicado em 28 de fevereiro de 2020 às 12:19H

Compartilhe:
Pará é o segundo Estado da região Norte com o pior desempenho nos serviços de saneamento básico (Akira Onuma / O Liberal)

Senadores têm pela frente a votação do projeto (PL 4.162/2019), que estabelece o novo marco regulatório do saneamento básico. Garantir uma nova regulação dos serviços de saneamento na esfera federal é uma das prioridades do presidente do Senado Federal, senador Davi Alcolumbre (DEM-AP). Sendo o segundo estado da região Norte com o pior desempenho nos serviços de saneamento básico, o Pará poderá ser um dos maiores beneficiados pelo projeto que institui a obrigatoriedade de licitações e favorece a regionalização da prestação dos serviços a partir da montagem de blocos de municípios.

Para acelerar a votação da matéria, que há está pronta para começar sua tramitação na Casa, o presidente Davi tem trabalhado num entendimento entre os parlamentares. “Estamos buscando uma conciliação para que seja um texto que contemple o Brasil”, comentou o senador do Amapá. Ele acredita que com o entendimento construído será possível votar mais rapidamente a pauta. “Não se trata apenas de levar água e esgoto para os milhões de brasileiros que não tem, significa, também, novos investimentos no Brasil”, reforçou.

Aprovado no final do ano passado pela Câmara dos Deputados, o projeto do novo marco regulatório do saneamento básico depende agora da análise do plenário do Senado Federal.

Em nota, o Instituto Trata Brasil, responsável pelo levantamento dos dados sobre o saneamento básico no país, entende que o projeto aumentará a concorrência e incentivará a injeção de capital privado no setor. “A inclusão da iniciativa privada será possível com a realização de licitações para a efetivação dos contratos de serviço. Com a extinção dos contratos de programa, fica obrigado que o trâmite seja feito por meio de livre concorrência. A aprovação do projeto vai facilitar a criação de parcerias público-privadas (PPPs), como forma de atrair investimentos ao setor”, justifica o Instituto Trata Brasil.

Pela proposta em análise no Senado, será possível modernizar a área e ampliar o acesso de brasileiros a saneamento e água potável. Conforme avalia o coordenador da bancada paraense no Congresso Nacional, senador Zequinha Marinho (PSC-PA), o saneamento deve ser encarada como prioridade. “A questão não é só atender. É preciso atender à população e garantir um preço que seja possível de ser pago por todos. O acesso à água tratada deve ser levado para todos. É uma questão de saúde pública”, enfatizou o senador.

De acordo com o último levantamento do Instituto Trata Brasil, Belém faz parte da lista das 10 cidades com os piores indicadores referentes ao acesso à rede de coleta de esgotos. Apenas 12,99% dos belenenses têm acesso ao serviço. Os números mostram ainda que, em todo o país, apenas os municípios paulistas de Piracicaba e Taboão da Serra possuem 100%de coleta de esgoto. 

Ao vivo
Floresta 104,7MHz
Carregando...

Send this to a friend