Carregando...
Ao Vivo
Carregando...
Tucuruí, 25 de October de 2021
Sistema Floresta
SBT Ao Vivo

Papa anuncia corte de salários de clérigos para evitar demissões no Vaticano

Por Folha de SP
Publicado em 25 de março de 2021 às 00:04H

Compartilhe:

O Papa Francisco emitiu um decreto, nesta quarta-feira (24), introduzindo cortes nos salários de cardeais e clérigos do Vaticano para evitar demissões devido ao agravamento da crise econômica como resultado da pandemia de coronavírus.

A decisão foi anunciada pela assessoria da Santa Fé. A redução —que é proporcional e vai diminuir em 10% o salário de cardeais, por exemplo— passa a valer em 1º de abril, mas não afeta a maioria dos funcionários leigos (aqueles que não receberam ordens sacras), segundo o porta-voz.

Francisco, 84, sempre insistiu que não quer despedir pessoas em tempos econômicos difíceis, mesmo quando o Vaticano continua a apresentar déficits.

Estima-se que os cardeais que trabalham no Vaticano ou em Roma recebam salários entre 4.000 e 5.000 euros (R$ 26 mil e R$ 33 mil) por mês, e muitos moram em apartamentos com aluguéis bem abaixo do mercado.

A maioria dos padres e freiras que trabalham nos departamentos do Vaticano vivem em comunidades religiosas em Roma, como seminários, conventos, paróquias, universidades e escolas, o que lhes dá maior proteção contra crises econômicas.

Eles têm um custo de vida muito menor do que os funcionários leigos como policiais, porteiros, bombeiros, limpadores e restauradores de arte, que na maioria das vezes moram em Roma e têm famílias.

E é esse grupo que o pontífice parece querer proteger, já que a maioria desses empregos não foram listados no decreto papal. Além dos cardeais, outros clérigos verão seus salários reduzidos entre 3% e 8%.

Os aumentos salariais programados para todos, exceto os três níveis salariais mais baixos, serão suspensos até março de 2023.

Ao vivo
Floresta 104,7MHz
Carregando...

Send this to a friend