Carregando...
Ao Vivo
Carregando...
Tucuruí, 21 de January de 2021
Sistema Floresta
SBT Ao Vivo

Toda criança deve receber 18 vacinas até um ano de idade

Por Dol
Publicado em 18 de fevereiro de 2019 às 09:52H

Compartilhe:

De acordo com a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em 2015 o Pará tinha cerca de 220 mil crianças nas idades entre 0 e 1 ano. Esse dado é o mais recente sobre isso até o momento. Nessa idade, criança necessita receber 18 vacinas que vão imunizar de diversas doenças que podem acometê-la logo no início da vida.

Importante é cumprir calendário de vacinação dos bebês, que está disponível nas unidades básicas de saúde (Foto: Irene Almeida/Diário do Pará)

Segundo a pediatra Aranda Haber, o Ministério da Saúde (MS) tem um calendário de vacinação específico para recém-nascidos e crianças, pré-adolescentes e adolescentes, adultos, idosos e, ainda para gestantes. Mas, o alerta é, principalmente, com a saúde dos pequeninos, pois eles são os mais suscetíveis às doenças, já que suas defesas imunológicas ainda não estão bem formadas. Por isso, quanto mais cedo for iniciada a vacinação, mais cedo elas ficarão protegidas.

A médica explica que ao nascer, o bebê traz no sangue muitos anticorpos da mãe, transferidos durante a gravidez. “Eles são importantes para a proteção enquanto o bebê não produz seus próprios anticorpos. Contudo, os anticorpos herdados podem diminuir a efetividade das vacinas. Daí a necessidade de várias doses no primeiro ano de vida”, detalha. “Além disso, a imaturidade do sistema imunológico da criança requer mais imunização para se obter uma boa resposta”.

OBRIGAÇÃO

A especialista alerta ainda para se evitar “Fake News” sobre a vacinação, o que afasta os pais desta importante obrigação, que está prevista no Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA). “Portanto, mais do que um gesto de amor e cuidado, manter o calendário de imunização dos filhos atualizado é um dever de todo pai ou responsável por um bebê, criança ou adolescente”, reforça a pediatra.

Graças à vacinação, a pediatra afirma que houve uma queda drástica na incidência de doenças que costumavam matar milhares de pessoas todos os anos até a metade do século passado – como a coqueluche, sarampo, poliomielite e rubéola. Mas, mesmo estando sob controle hoje em dia, essas doenças podem retornar e se tornar uma epidemia caso as pessoas parem de se vacinar. Para que isso seja evitado, todas as vacinas são disponibilizadas pelo MS e encontradas nos postos de saúde de todo o país, conforme o calendário vacinal que anualmente é atualizado.

COMO VACINAR? – Para vacinar, basta levar a criança a um posto ou Unidade Básica de Saúde (UBS) com o cartão da criança. O ideal é que toda dose seja administrada na idade recomendada. Entretanto, se perdeu o prazo para alguma dose é importante voltar à unidade de saúde para atualizar as vacinas. A maioria delas está disponível no Calendário Nacional de Vacinação.

ALGUMAS VACINAS OBRIGATÓRIAS

Ao nascer

  • BCG (Bacilo Calmette-Guerin) – (previne as formas graves de tuberculose, principalmente miliar e meníngea) – dose única
  • Hepatite B – dose única

2 meses

  • Pentavalente (previne difteria, tétano, coqueluche, hepatite B e meningite) – 1ª dose
  • Vacina Inativada Poliomielite (VIP) (previne poliomielite ou paralisia infantil) – 1ª dose
  • Pneumocócica 10 Valente(previne pneumonia, otite, meningite e outras doenças causadas pelo Pneumococo) – 1ª dose
  • Rotavírus (previne diarreia por rotavírus) – 1ª dose 3 meses
  • Meningocócica C (previne a doença meningocócica C) – 1ª dose.
Ao vivo
Floresta 104,7MHz
Carregando...

Send this to a friend